DESTAQUES

Se você não soubesse quantos anos você tem, quantos anos você se daria? Saiba avaliar

Elisandra Vilella G. Sé 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
Cada faixa etária um significado diferente

por Elisandra Vilella G. Sé

Para responder a questão acima, existem diversas teorias psicológicas e sociológicas do desenvolvimento, tanto na vida adulta, como na velhice.

Segundo a autora e psicóloga alemã Charlotte Bühler (1893-1974), as fases do denvolvimento psicológico são divididas por idade funcional e não cronológica para a vida adulta, meia-idade e velhice. Para essa autora a idade de 25 a 45 anos é a fase de culminância do desenvovimento com um princípio de especificação de metas; a fase de 45 a 50 anos é a fase de conflito entre expansão e contração em que o indivíduo faz avaliação de suas realizações e das metas de vida.

Para o psiquiatra suíço Carl Gustav Jung (1875-1961), a idade de 40 a 50 anos significa a segunda metade da vida adulta (a primeira metade seria a dos 30 aos 40) a pessoa nesta fase faz revisão de vida procurando restaurar o equilíbrio psicológico e a necessidade interna de autoconhecimento.

O pesquisador norte-americano Daniel Levinson separa as fases do desenvolvimento como "estações da vida adulta". A idade dos 33 aos 40 anos é a fase da estabilidade (trabalhar, criar, produzir e ter envolvimento com modelos) e as idades dos 40 a 45 anos é a fase da transição para a meia-idade, em que a pessoa faz revisão da estrutura de vida.

Segundo *Erik Erikson (1902-1994), psicológo alemão que deu um plus nas teorias de Freud, as idades representam ciclos que significam fases de conflito do ego. Para ele temos a idade adulta (30-40) um período que a pessoa vive de isolamento x intimidade; a maturidade (40-60) o período de geratividade x estagnação e a velhice (60 ou mais) o período de integridade x desespero e sabedoria.

E na proposta de **Havighurst um autor dos Estados Unidos sobre as tarefas evolutivas, a meia-idade é dos 35 a 60 anos (culminância da carreira, educação dos filhos, adaptação às mudanças, manutenção do padrão de vida alcançado, adaptação à velhice dos pais) e a velhice 60 anos e mais (tarefa de afastamento dos papéis adultos, capacidade de seleção e adaptação, ajustamento às perdas físicas e sociais).

Se você não soubesse quantos anos você tem, quantos anos você se daria? Reflita sobre isso.

A data das publicações do autor *Daniel Levinson é de 1978. A do autor **Havighurst são de 1951, New York, EUA. Ele resumiu e sintetizou as explicações de Erik Erikson.




Elisandra Vilella G. Sé

Fonaoudióloga pela Faculdade Tereza D'Ávila de Lorena (FATEA/USC) (1995), Mestre em Gerontologia pela Faculdade de Educação da UNICAMP (2003); Doutorado em Linguística - Área de Neurolinguística pelo Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP (2011); Especialista em Educação em Saúde para Preceptores do SUS pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês (2013); foi pesquisadora visitante na Associação Alzheiemr Portugal em Lisboa (2013); Coordenadora da ABRAZ - Associação Brasileira de Alzheimer - sub-regional Campinas e Jaguariúna.



ENQUETE

Você revidaria uma traição?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.