DESTAQUES

Por que não arrumo namorado?

Anette Lewin 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Quando procuramos um par amoroso às vezes somos rejeitados

por Anette Lewin

"Olá, estou com um grande problema. Sinto-me uma ET, muito anormal. Tenho 25 anos, as pessoas dizem que sou bonita, mas não consigo arrumar namorado. E também sou simpática. Até hoje só fiquei com dois rapazes, o primeiro quando tinha 15 anos. Não namorei, pois ele usava drogas. O segundo, estava com 18 anos, não namorei, pois ele tinha mau hálito. Tenho muita vergonha disso, porque as pessoas riem de mim, inclusive parentes. Não consigo dormir à noite mais. Tem um rapaz que sou apaixonada por ele; pedi pra ser amiga dele no Facebook, ele me adicionou, mas bloqueou o meu bate-papo. Dizem que tenho que ser aberta, procurar... Eu faço isso, mas ninguém quer ser meu namorado, e olha que não sou feia e nem chata. Tenho medo de morrer sozinha. E se arrumar um namorado, nem sei como explicar isso tudo."

Resposta: Você está se torturando com essa ideia fixa de que tem que arranjar um namorado. Talvez o problema esteja ligado a essa obsessão que não deixa você dormir e tira sua paz quando você está acordada.

Revendo sua história, não parece que você seja tão inábil para conquistas. Afinal, pelo menos duas pessoas quiseram namorar você, mas você não aceitou. Ou seja, você não namorou porque nenhum deles se encaixou nos seus padrões. Certíssimo! Você não é obrigada a namorar por namorar. Mesmo que as pessoas a pressionem, entenda que a escolha amorosa deve ser feita com um certo cuidado. Se você ainda não encontrou seu par é por que não aceita qualquer pessoa, o que demonstra que você é sensível e criteriosa. Respeite seu jeito de ser.

Por outro lado, é importante que você evite centrar sua vida na procura do príncipe encantado. Tente se relacionar com as pessoas sem "segundas intenções". Caso conheça alguém que ache interessante, antes de pensar nele como namorado, tente entender como é essa pessoa, conhecê-lo melhor, e verificar se no dia a dia ele é uma pessoa interessante para você. Lembre-se, no entanto que para pessoas mais introvertidas, como parece ser o seu caso, fica mais fácil escolher entre os que se aproximam do que se aproximar de quem escolheu. Assim, evite concentrar toda sua energia apenas em uma pessoa que você achou interessante. Como por exemplo o rapaz pelo qual você está "apaixonada" e que bloqueou você no Facebook.

Para que o relacionamento dê certo, é necessário que haja interesse de ambas as partes. Se ele não está a fim, bobagem ficar batendo na mesma tecla. Você já imaginou como se sentiria se um dos rapazes que você não quis namorar ficasse insistindo com você? Difícil, não?

Então, entenda que quando estamos procurando um par amoroso às vezes somos rejeitados. Não necessariamente pelo que somos mas, em geral, porque o que a outra pessoa procura não é o que podemos oferecer. Simples assim. Então, quando ouvir um não, evite entender esse não como um grande fracasso. Apenas volte a olhar para os lados e esteja disponível para conhecer novas pessoas.

Se você realmente quer se relacionar com alguém, namorar, casar e formar uma família, procure entender que existe uma hora certa para cada pessoa. Umas namoram antes, outras demoram mais para achar seu par.

Respeite seu tempo de amadurecimento. Considere que cada experiência amorosa, seja ela bem-sucedida ou malsucedida, tem algo a ensinar para você. Aproveite esses ensinamentos, reflita sobre eles, e quando menos você esperar, se sentirá pronta para iniciar um relacionamento real, consciente e com responsabilidade. Afinal, o namoro é apenas o início da vida a dois. Não importa com que idade ele se inicia; o importante é que os envolvidos possam se responsabilizar por uma relação que envolva respeito, generosidade, sensibilidade e consciência.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga Anette Lewin responderá sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Anette Lewin

É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data.



ENQUETE

É possível ser otimista no Brasil?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.