DESTAQUES

Psicoterapia seria o tratamento mais indicado para largar maconha?

Danilo Baltieri 01/01/2016 PSICOLOGIA

por Danilo Baltieri

Resposta: As psicoterapias consistem em uma das formas de tratamento que podem ser utilizadas em pacientes dependentes de maconha. Dentre elas, a terapia comportamental tem sido uma das mais utilizadas em vários serviços ao redor do mundo, mostrando resultados contrastantes.

Na verdade, o grande objetivo desta forma de terapia é a modificação do comportamento do usuário em relação ao consumo desta substância, procurando, principalmente, a modificação do seu estilo de vida, a estruturação de estratégias de evitação do uso e o manejo das recaídas, as quais, em geral, são freqüentes.

Infelizmente, ainda não existem medicações comprovadamente eficazes para auxiliar no tratamento da dependência de maconha, embora muitas pesquisas estejam se dedicando a isso. De qualquer forma, o sucesso do tratamento depende basicamente de três fatores: a motivação do indivíduo em cessar o consumo da droga, o suporte de familiares e amigos, e a existência de uma intervenção médica ou psicológica adequada para cada pessoa.

Freqüentar o N.A (Narcóticos Anônimos) traz resultados?

Resposta: Os grupos de mútua ajuda são outra forma de tratamento destinada aos dependentes de substâncias. Os grupos Alcoólicos Anônimos (AA) e Narcóticos Anônimos (NA) são bastante procurados por pacientes dependentes de álcool e de outras drogas, respectivamente.

Devemos sempre lembrar que a associação de duas ou mais formas de tratamento potencializa os resultados positivos. Uma das formas são os grupos de mútua ajuda; a outra, no caso da maconha, poderiam ser as psicoterapias.

Infelizmente, a eficácia dos grupos de mútua ajuda na promoção da abstinência dos dependentes químicos é bastante difícil de determinar, em termos científicos, em virtude da grande heterogeneidade dos grupos ao redor do mundo. De qualquer forma, consiste em importante ferramenta no tratamento dos dependentes químicos.

Maconha causa dependência química? Quais são os sintomas de abstinência?

Resposta: O quadro de síndrome de dependência provocado pelo consumo de maconha é bem estabelecido, embora ainda muitas pessoas, em geral usuários, duvidem disso.

A síndrome de dependência é caracterizada pela existência de perda do controle diante do consumo da substância, de prejuízos sociais, educacionais, laborais relacionados ao uso, do abandono de outros prazeres em função do consumo da droga, da evidência de tolerância (aumento da dose ou quantidade consumida, com o objetivo de se atingir os mesmos efeitos obtidos anteriormente com menores doses ou quantidades), síndrome de abstinência (sintomas psicológicos e/ou físicos decorrentes da parada ou redução abrupta do uso da substância). Na verdade, o indivíduo dependente apresenta três ou mais das características citadas acima.

A síndrome de abstinência de maconha costuma se apresentar com sintomas ansiosos, certa inquietação, desejo de fumar para cessar este estado de desconforto e irritabilidade. Embora os sintomas da síndrome de abstinência de maconha não sejam fisicamente evidentes, como seria nos casos do álcool e opióides, provocam importante desconforto entre os dependentes.

Atenção!
As respostas do profissional desta coluna não substituem uma consulta ou acompanhamento de um profissional de psiquiatria e não se caracterizam como sendo um atendimento

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. O psiquiatra Dr. Danilo Baltieri responderá questões ligadas à dependência química e vícios: drogas, álcool, cigarro e psicotrópicos. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Danilo Baltieri

Médico psiquiatra. Mestre e doutor em Medicina pelo Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Atualmente é coordenador geral do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Instituto de Psiquiatria da FMUSP (GREA-IPQ-HCFMUSP).Tem experiência em Psiquiatria Geral, com ênfase nas áreas de Dependências Químicas.



ENQUETE

Atração física não basta, tem que haver atração mental. Você concorda?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.