DESTAQUES

Sete dicas para manter seu relacionamento amoroso em alta

Thaís Petroff 01/01/2016 COMPORTAMENTO

por Thaís Petroff

"É fundamental que em um relacionamento os envolvidos possam falar assertivamente sobre o que incomoda"
 

Talvez uma das coisas mais prazerosas e mais difíceis em nossa vida sejam os relacionamentos amorosos. Obviamente que não é todo relacionamento que é feito para durar. No entanto, prestar atenção a alguns comportamentos ou aprender a desenvolvê-los, aumentam vertiginosamente suas chances de sucesso. Perceba o que você já faz que se enquadra nos tópicos abaixo e o que ainda precisa melhorar.

1º) Sejam companheiros

Casais felizes têm interesses em comum, e se compartilhados, trazem contentamento e percepção de parceria. Além disso, fazer atividades que curtam, ajuda a sair da rotina do dia a dia, que se permitida, pode desgastar o relacionamento. Se tem filhos, reservem um tempo somente para o casal, do contrário, podem acabar se afastando um do outro.

2º) Sejam amigos

Se vocês não tiver ao lado alguém com quem goste de conversar, é muito provável que a relação não dure por muito tempo. Precisamos de alguém em quem possamos confiar, compartilhar tanto nossas ideias fúteis, mas, também nossas questões mais profundas. Alguém com quem sintamos prazer de contar as coisas. Se esse espaço não é criado dentro de uma relação amorosa, essa será pobre e corre-se o risco de só haver conversa quando for haver a famosa DR (Discussão de Relacionamento) e aí não há paciência que aguente.

3º) Cuidem um do outro

Um relacionamento amoroso precisa se dar entre suas pessoas minimamente maduras e por isso nenhum dos lados deve adotar a postura de mãe ou pai, mas pequenos cuidados ou agrados, podem fazer com que o outro se sinta amado e isso preserva a relação. Coisas como: providenciar o jantar quando o outro chega tarde e cansado do trabalho, surpreender com aquele ingresso do filme ou show que o par comentou que gostaria de ver ou ainda levar o carro dele(a) na revisão quando ele(a) estiver com o tempo apertado são exemplos de comportamentos que fazem com que nos sintamos cuidados e que há alguém que se importa conosco.

4º) Resolvam as discussões

É fundamental que em um relacionamento os envolvidos possam falar assertivamente sobre o que incomoda. Guardar ofensas com receio de gerar problemas, com certeza, resultará em problemas maiores no futuro. No entanto, é imporante que possa descrever o que ocorreu sem culpabilizar ou ofender o outro (leia aqui texto sobre comunicação não violenta) e então, após ambas as partes se entenderem, encerrar o assunto e colocat um ponto final na conversa. Um comportamento que desgasta muito um relacionamento é alguma das partes (ou ambas) ficar retomando o passado e criticando o outro por algo que fez. Ou se trabalha o perdão (ler texto sobre perdoar X esquecer) ou então certamente essa relação minguará ou se tornará doente.

5º) Tenham planos em comum e trabalhem juntos para alcançá-los

Ter metas em comum une as pessoas. Elas se aproximam e se sentem parceiras quando se empenham conjuntamente para realizá-las; e isso é ainda mais verdade em um relacionamento amoroso.

6º) Atração

A vida sexual em um relacionamento é um ótimo termômetro de como ele está. Casais que não transam ou que diminuíram essa frequência, geralmente demonstram que a parte da atração está se extinguindo e, desse modo, a relação está se encaminhando mais para uma amizade do que para um relacionamento amoroso. Amor e sexo precisam caminhar juntos pois, um é a continuação do outro e, juntos, se completam. Por isso cuidem dessa parte: deixem as crianças com os avós de vez em quando, produzam-se um para o outro, façam surpresas em alguns momentos, experimentem algo diferente.

7º) Deem liberdade um ao outro

Relação alguma sobrevive quando vira obrigação, portanto as pessoas precisam se sentir no direito de escolher o que querem fazer e, se optam por estar juntas, o fazem por vontade própria. Há momentos e que ambos poderão sentir o desejo de fazer algo sozinhos ou com outras pessoas; e isso não quer dizer que acabou o amor, mas sim, que a individualidade permanece; e isso ajudará a trazer novidades, além de saudade para a relação. Lembre-se: "O amor é isso. Não prende, não aperta, não sufoca. Porque quando vira nó, já deixou de ser laço." (Mário Quintana).

 

 




Thaís Petroff

Formada em Psicologia pela PUC-SP e é Master Coach. Utiliza a Terapia Cognitivo Comportamental como base do seu trabalho, mas sabendo da profundidade e complexidade do ser humano, fez formação em Bioenergética, Programação Neurolinguística e Yoga se focando em auxiliar as pessoas a desenvolver e manter emoções mais equilibradas e saudáveis. Foca-se em desvendar e compreender a desafiadora prática das relações, promover transformações cognitivas, emocionais e comportamentais nas pessoas que a procuram e disseminar conhecimento através das mídias sociais.



ENQUETE

Atração física não basta, tem que haver atração mental. Você concorda?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.