DESTAQUES

Eu tenho um perfil empreendedor?

Roberto Santos 01/01/2016 COMPORTAMENTO

por Roberto Santos

 

"Minha personalidade se ajustaria às demandas de um voo solo? [...] tenho as motivações e atitudes requeridas para ser dono de meu próprio nariz ..."

Sonho de liberdade! Livre do trânsito, livre dos restaurantes de quilo ou do "bandejão", livre daquele chefe incompetente, daquele bando de fofoqueiras do escritório! Cada um de nós teve ou tem uma fantasia sobre seu voo solo na carreira. Aquele momento em que damos o grito de independência ou corte (de pessoal) e resolvemos abrir nosso próprio negócio ou aderir a uma franquia - queremos ser empreendedores!

Por que para algumas pessoas esse sonho se realiza e para outras ele se torna em pesadelo que as remetem à coluna de classificados de empregos?

Inicialmente, temos que separar duas decisões muito importantes: abrir um negócio com 100% de autonomia ou aderir a uma franquia já estabelecida.

A opção pela primeira alternativa, certamente, é a que envolve mais riscos. Qual é o negócio que vou desenvolver? Existe mercado? Qual será a concorrência que terei de enfrentar e quais serão meus diferenciais? Vou montar o negócio sozinho ou com um sócio? Quanto disponho de capital para investir no negócio e pagar as contas da empresa e pessoais, hoje pagas pelo meu salário e várias outras questões atemorizantes?

A segunda opção não é menos complexa, pois muitas das dúvidas acima já foram ou são respondidas pela empresa franqueadora, mas riscos são inerentes a todos os negócios, pois além de todas as variáveis externas de mercado e concorrência, a interna mais importante é sobre o preparo de quem vai conduzir o negócio.

Por consequência, a pergunta que deve preceder a todas as citadas, e a mais crucial de todas é:

Eu tenho um perfil empreendedor?

Ou seja, minha personalidade se ajustaria às demandas de um voo solo? Independentemente de conhecimentos e habilidades que posso adquirir através de leituras e cursos, eu tenho as motivações e atitudes requeridas para ser dono de meu próprio nariz, mesmo que aproveitando o modelo do nariz do outro?

O jornal Folha de SP, edição de 20/04/14 trazia uma matéria sobre o Empreendedorismo, comparando os setores de franquias que dão mais certo, apontando seu crescimento relativo, que coloca em primeiro lugar o setor de "beleza, esporte, saúde e lazer" com quase 24% de crescimento em 2013; enquanto "limpeza e conservação" cresceu modestos 1,6%. Porém, mais do que considerar o setor, a chamada da matéria é que a "Personalidade do empresário deve ser avaliada na compra da franquia".

Conforme especialistas em franquias apontam, além de avaliar os aspectos financeiros e mercadológicos do negócio em estudo, também o apoio ao franqueado quanto a prover os conhecimentos e habilidades necessárias para tocar o negócio é extremamente importante. Porém, esses elementos podem ser condições necessárias, mas não suficientes para o sucesso do novo empreendedor.

Identificação com a marca e se perguntar: "Eu trabalharia dez anos nesse negócio e seria feliz?" Além disso, o perfil de personalidade do empreendedor é elemento crucial para avaliar o potencial de sucesso ou as chances de fracasso em um negócio que envolva, por exemplo, muito contato com o público, para uma pessoa de natureza essencialmente introvertida.

Então, o que é empreendedorismo e o que é ser empreendedor?

Como saber se eu serei um empreendedor de sucesso - com meu negócio ou com uma franquia?

Ainda que a origem da palavra empreendedor venha da França dos séculos 17 e 18, é o economista austríaco Joseph Schumpeter, que no século passado, definiria empreendedor como aquele que "reforma ou revoluciona o processo "criativo-destrutivo" do capitalismo, por meio do desenvolvimento de nova tecnologia ou do aprimoramento de uma antiga - o real papel da inovação. Esses indivíduos são os agentes de mudança na economia." Ainda no século 20, Peter Drucker agregou o conceito de risco e da mobilização de recursos externos, valorizando a interdisciplinaridade do conhecimento e da experiência, para alcançar seus objetivos. Nesse sentido, o empreendedorismo em sua extensão mais completa, se confunde com a liderança e gestão de pessoas para viabilizar empreendimentos significativos e bem-sucedidos.

Segundo a Wikipedia, "uma das definições mais aceitas hoje em dia, é dada pelo estudioso de empreendedorismo, Robert D. Hisrich, em seu livro "Empreendedorismo". Segundo ele, empreendedorismo é o processo de criar algo diferente e com valor, dedicando tempo e o esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, psicológicos e sociais correspondentes e recebendo as consequentes recompensas da satisfação econômica e pessoal.

Autoconhecimento é essencial para avaliar perfil e potencial

O elemento de riscos psicológicos talvez seja o que mais nos remete ao processo de autoconhecimento sobre nosso perfil de personalidade e motivacional para avaliarmos nosso potencial de sucesso como empreendedores ou como minimizarmos aqueles riscos psicológicos que muitas vezes são a causa do fracasso como empreendedor.

Uma pesquisa recente, com 256 empreendedores, descrita em artigo do Dr. Jeff Foster da Hogan Assessment Systems e Dra. Julie Edge, professora da Universidade de Washington e coach de centenas de empreendedores, trata da personalidade do empreendedor.

Os empreendedores que participaram deste estudo, estavam nos estágios iniciais da construção de suas empresas no setor de tecnologia dos Estados Unidos. Eles eram os fundadores de suas empresas. Um total de 97 companhias fez parte do estudo, 51% delas tinham dois fundadores, 31% tinham três ou mais fundadores e 19% apenas um fundador. Os dados foram coletados entre Fevereiro de 2012 e Agosto de 2013.

Segundo os autores, os empreendedores frequentemente se diferenciam de adultos trabalhadores em geral de várias maneiras. Por exemplo, comparados a gerentes, os empreendedores se caracterizam por energia ("drive") e ambição. Além disso, "eles tendem a ser mais expansivos, mas também mais dispostos a serem diretos e confrontativos com os outros. Finalmente, eles tendem a resistir a práticas e procedimentos padrão e são mais capazes de lidar com a pressão e o estresse. Em geral, estas características pintam um retrato de indivíduos que são apaixonados, cheios de energia, criativos e persistentes quando se deparam com desafios."

Assim, dentre as inúmeras descrições do perfil do empreendedor, poderíamos destacar algumas, focalizando algumas questões para sua autorreflexão quanto à sua identificação com cada uma delas em seu momento pré-empreendedorismo, mas essas características do perfil do empreendedor abordarei na segunda e última parte deste artigo.

 




Roberto Santos

Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br



ENQUETE

Atração física não basta, tem que haver atração mental. Você concorda?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.