DESTAQUES

Formato do dedo grego dos pés: lendas e consequências reais à saúde

Redação Vya Estelar 23/08/2017 SAÚDE E BEM-ESTAR
Formato do dedo grego dos pés: lendas e consequências reais à saúde
Fonte: imagem divulgação/assessoria
Condição acomete quase 1/3 dos brasileiros

Da Redação  

A Síndrome do Pé de Morton ou simplesmente dedo grego é uma característica presente nos pés de 28.2% dos brasileiros, segundo pesquisa desenvolvida entre março e junho deste ano. Trata-se de uma síndrome onde o segundo dedo do pé é maior que todos os demais. Alguns mitos e problemas anatômicos giram em torno dessa condição, que é hereditária.

Lendas

A cultura popular e as lendas mais conhecidas na internet afirmam que quem possui os dedos no formato grego tem uma tendência mais criativa, motivacional e também possui um prazer em realizar exercícios e novas atividades. O dedo indicador do pé também é muito relacionado aos desejos e aos sentimentos, o que sugere que as pessoas com a síndrome são mais emotivas e sonhadoras.

Consequências da síndrome

O fisioterapeuta Mateus Martinez alerta que nada disso está comprovado. O folclore faz parte, mas muitas pessoas sofrem, pois os calçados raramente são adaptados para esse formato dos dedos. Na realidade, não é o dedo que é maior e sim o primeiro osso do peito do pé, o que vem antes do dedão, que é menor ou *hipermóvel.

Quando as articulações têm hipermobilidade, elas não oferecem estabilização e isso estressa os ossos, músculos e tendões. Calos, pisadas desalinhadas e sobrecarga das articulações são problemas que podem acometer quem tem essa hipermobilidade associada ao dedo de morton. Há riscos também de **fascite plantar, dores na canela e joelhos.

Há teorias de que a síndrome do pé de morton causa dores de cabeça, dores nos dentes ou nos ombros, além das lendas sobre personalidade. No entanto é importante nos atermos aos fatores já provados, como erros de pisada, sedentarismo, sobrepeso, entre outros.

As pessoas que têm dedo de morton devem usar calçados com o tamanho correto ou palmilhas ortopédicas que oferecem suporte ao pé problemático.  

* Articulações hipermóveis são aquelas que se movem além do limite normal de uma articulação específica, sem que a pessoa precise realizar mais esforço. Fonte: Saúde de A a Z.

** A fáscia plantar é um tecido fibroso localizado ao longo da planta do pé, que se estende do calcanhar até a ponta dos dedos e tem como função a sustentação do arco plantar. A fascite plantar é a inflamação que ocorre devido a um estresse excessivo dessa região. Fonte: http://www.pessemdor.com.br

Fonte: Mateus Martinez é bacharel pela USP e Mestre em Fisioterapia pela Universidade de Queensland, Austrália.




TAGS :

    síndrome, dedo, grego, pé, morton, palmilha, fisioterapia

Redação Vya Estelar

Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.



ENQUETE

Quem não tem cão caça com o “ex”, que está receptivo. Você concorda?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.