DESTAQUES

Calmantes: todos podem tomar?

Joel Rennó Jr. 03/05/2018 SAÚDE E BEM-ESTAR
Calmantes: todos podem tomar?
Fonte: Google Imagens
Calmantes devem ser tomados quando há prescrição médica

Por Dr. Joel Rennó Jr.

Calmantes ou sedativos, como o nome evidencia, devem ser utilizados quando há indicação médica, ou seja, não devem ser tomados por hábito, como parte da rotina, como quem bebe água ou um café.

TEXTO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



Infelizmente, muitas pessoas mais nervosas, estressadas, tensas, que não conseguem dormir, por exemplo, ou também as deprimidas, procuram nos benzodiazepínicos a solução. A única solução, como alguns acreditam.

Estas substâncias auxiliam em diversos tratamentos de saúde, tanto nos casos de Ansiedade Generalizada, Síndrome do Pânico, entre outros compreendidos pela psiquiatria. E também de áreas como a cardiologia, neurologia, ortopedia etc para pacientes que precisam sair de um quadro crítico. Só que o cuidado na prescrição e acompanhamento clínico precisam sempre estar presentes!

Efeitos dos calmantes no organismo

Calmantes devem ser tomados quando há prescrição médica.

Os efeitos dos calmantes no corpo humano são:

1 - Redução da ansiedade;
2 - Diminuição da agressividade;
3 - Sedação;
4 - Indução do sono;
5 - Redução do tônus muscular e da coordenação;
6 - Efeito anticonvulsivante;
7 - Relaxante muscular.

Os sedativos conseguem deprimir diversas áreas do cérebro, provocando sonolência, sensação de relaxamento e calma. Eles atuam em receptores denominados gabaérgicos de uma forma geral.

Em doses maiores, levam à alteração psicomotora, perda de concentração e raciocínio. A pessoa pode se sentir como que embriagada, ter tonturas, enjoos, entre outros sintomas como confusão mental, excitação ou depressão.

Obviamente, pelos efeitos descritos acima, o uso prolongado dos benzodiazepínicos, além de gerar dependência, prejudicam!

Com o tempo, a dose tem que ser aumentada, ou seja, há o desenvolvimento de tolerância. Sendo necessárias doses cada vez maiores para se ter o efeito desejado.

Assim, pode haver comprometimento de funções simples como dirigir e operar máquinas à incapacidade de trabalhar, ir à escola, ou seja, prejudicando a rotina do paciente.




TAGS :

    calmantes, efeitos, organismo, psiquiatria, benzodiazepínicos

Joel Rennó Jr.

Dr. Joel Rennó Jr. MD, Ph.D. Professor do Departamento de Psiquiatria da FMUSP. Diretor do Programa de Saúde Mental da Mulher - Instituto de Psiquiatria da USP. Médico do Corpo Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein- São Paulo. Coordenador da Comissão de Estudos e Pesquisa de Saúde Mental da Mulher da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). www.psiquiatriadamulher.com.br



ENQUETE

Amor: você considera sua relação frágil?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.