DESTAQUES

Sente-se oprimido e odeia seu chefe?

Roberto Shinyashiki 17/05/2018 COMPORTAMENTO
Sente-se oprimido e odeia seu chefe?
Fonte: imagem Pixabay
Saiba que dá para contornar

Por Roberto Shinyashiki

Todos nós temos desafios a superar em nossas carreiras. Se o seu chefe é o seu obstáculo, você não pode demiti-lo e, se não quer trocar de empresa, só há uma única alternativa: Treine o seu chefe.

Os perdedores são facilmente reconhecidos, porque estão sempre acusando, reclamando ou dando desculpas para o seu fracasso.

Se souber trabalhar direitinho, você conquistará um grande aliado para os seus projetos. Claro que isto não significa que você deva se comportar como os bajuladores. Esses são os grandes alimentadores do fracasso. Quando elogiam quem não tem capacidade, criam, nos outros, uma ilusão de competência que somente adiará as mudanças tão necessárias para o desenvolvimento de sua empresa.

Por ouro lado, agir como um rebelde sem causa transformará você em uma pessoa desagradável, a quem ninguém dará atenção porque estará criando um ambiente de tensão para a equipe. Esta é uma boa estratégia para conseguir uma mudança de departamento, mas somente se você tiver estabilidade no emprego.

Assim, reclamar, bajular e rebelar-se são atitudes que não funcionam. Mas você não pode deixar que alguém desesperado administre o seu trabalho. Portanto, treine o seu chefe!

Mas como, se é ele que decide?

Existem três tipos de chefes a serem treinados: o lógico-racional, o amigão e o intelectual

Eles pensam e agem de forma diferente e, portanto, a sua estratégia deve ser específica para cada caso. De qualquer maneira, se o seu chefe for aquele sujeito frio e distante, que não valoriza seres humanos, ou um político que está na presidência de uma estatal, lembre-se: ele tem muitos problemas e está em busca de soluções. Caso você tenha a solução, ele vai passar a respeitar você e suas opiniões serão muito valorizadas.

Na vida, a pessoa tem dois caminhos: ser problema ou ser solução.

Aproveite os problemas para ser solução. Seu chefe vai adorar!

No caso do chefe amigão, dê a ele um livro de presente aquele ou aquele artigo fascinante. Depois puxe assunto. Pergunte o que ele achou. Aproveite e convide-o para assistir uma palestra ou seminário que trate de administração de empresas e pessoas.

Se for amigão mesmo, convide-o para almoçar e conte suas idéias, expondo as suas preocupações.

Já no caso do chefe intelectual, a melhor atitude é apresentar uma proposta detalhada, com dados sofisticados que o estimulem a aprovar a sua sugestão. Por exemplo, se for uma proposta de treinamento, apresente a idéia acompanhada de uma estrutura operacional, objetivos, problemas que irá solucionar e, principalmente, os resultados desejados.

Ao ver uma proposta tão bem elaborada vai ficar difícil dizer não.

Enfim, você tem que encontrar a melhor estratégia para conseguir o resultado desejado.




TAGS :

    odeio, meu, chefe, sinto, oprimido, assédio, moral

Roberto Shinyashiki

É médico psiquiatra, com especialização em Administração de Empresas (MBA USP), é consultor organizacional, palestrante e autor de 12 títulos, entre eles o lançamento “Tudo ou Nada”, “Heróis de Verdade”, “Amar pode dar certo”, “O sucesso é ser feliz” e “A carícia essencial”. Mais informações: www.shinyashiki.com.br



ENQUETE

Qual o preço de se buscar a perfeição?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.