DESTAQUES

Movimentar-me no dia a dia já o suficiente para poder sair do sedentarismo?

Milena Imaizumi 01/06/2018 SAÚDE E BEM-ESTAR
Movimentar-me no dia a dia já o suficiente para poder sair do sedentarismo?
Fonte: imagem Pixabay
Você pode adicionar à sua vida diária: subir escadas, um ou dois andares por dia, descer um ponto de ônibus à frente ou atrás

Por Milena Liste

Dúvida da leitora:

"Ou preciso de fato me submeter a uma prática regular de atividade física ou entrar em uma academia? Tenho pouco tempo, minha vida é muito corrida. O que você me aconselha?"

Resposta: O sedentarismo pode levar a inúmeras consequências nefastas ao organismo. Se aliado a uma má alimentação, rica em gorduras trans, carboidrato branco e pobre em fibras e vitaminas, pode levar a altas taxas de colesterol, glicemia e elevação da pressão arterial.

Os efeitos adversos da hipertensão arterial sistêmica (HAS), diabetes mellitus (DM) e altas taxas de colesterol (hipercolesterolemia) geram a malefícios à saúde, muitas vezes irreparáveis ao indivíduo.

O lado bom da história é que estas três taxas elevadas (pressão arterial, glicose e colesterol), em fases iniciais, podem e devem ser combatidas com atividade física e educação alimentar. O maior entrave é que a pessoa não se conscientiza disso e muitas vezes o médico acha “mais fácil“ receitar medicamentos para melhorar esses parâmetros.

Se uma pessoa se movimentar durante 30 minutos ao dia, mesmo fracionado, ou seja, 3 caminhadas leves de 10 minutos ou duas de 15 minutos, ao longo de 6 semanas, estes índices irão melhorar. Não precisa colocar roupa própria, basta a sua do dia a dia, isso no intervalo do almoço, lanche da manhã e o da tarde; ou ainda ao regressar do trabalho ou estudo à noite. Lembre-se: caminhadas fracionadas associadas a uma educação alimentar é melhor ainda!

E mais: você pode adicionar à sua vida diária: subir escadas, um ou dois andares por dia, descer um ponto de ônibus à frente ou atrás para caminhar até o local desejado, fazer uma faxina semanal, jardinagem, fazer tarefas domésticas, entre outras atividades, são sim, consideradas como atividade de vida diária moderada, o que tira a pessoa do sedentarismo.

Se durante a semana você não consegue ir para academia, caminhar, andar de bicicleta, durante o fim de semana, aos sábados e domingos, você deve, com certeza, iniciar uma caminhada de pelo menos 20 a 30 minutos. Já são duas vezes na semana!

Então, vamos lá! Mexa-se e viva melhor.
 

Atenção!
Este texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um médico ou profissional de educação física e não se caracteriza como sendo um atendimento.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A professora de educação física e fisioterapeuta Milena Imaizumi responderá e-mails relacionados à saúde da mulher na área da atividade física, fisioterapia/obstetrícia, ginástica postural, ergonomia e RPG. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail não serão publicados.

ENVIAR PERGUNTA



TAGS :

    como, deixar, ser, sedentário

Milena Imaizumi

Educadora física, pós-graduada em Fisiologia do Exercício e fisioterapeuta, pós-graduada em Fisioterapia Desportiva. Desde de 1997, atua como personal trainer há 15 anos na área de ginástica postural e RPG. Desde 2007, na área de uroginecologia trabalha com orientação e conscientização da saúde do homem, da mulher e de atletas quanto a musculatura pélvica e afecções. Supervisiona o curso de Fisioterapia em Obstetrícia e Uroginecolocogia da UNIFESP.



ENQUETE

É possível ser você mesmo no ambiente de trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.