DESTAQUES

O que você deseja para o seu filho?

Miriam Rodrigues 05/10/2018 PSICOLOGIA
O que você deseja para o seu filho?
Fonte: imagem Pixabay
Ensinar a construção de uma vida feliz não tem a ver com materialismo

Por Miriam Rodrigues

Nas minhas palestras para pais, costumo repetir uma pergunta que Martin Seligman, um dos idealizadores da Psicologia Positiva, fez em um de seus livros.

A pergunta é a seguinte: o que você deseja para o seu filho?
 
Sempre obtenho a mesma resposta: felicidade.

Após a resposta universal, pergunto novamente: você cria o seu filho para ser feliz?

Você o cria para ter uma vida com bem-estar e felicidade?

Explico, então, que a felicidade e o bem-estar não estão ligados ao materialismo. Inclusive, o materialismo é prejudicial à felicidade, porque o indivíduo se dá o valor que os outros lhe impõem; ele só é feliz sabendo o que os outros pensam dele. Assim, a felicidade é condicional e depende exclusivamente de outras pessoas.

Dessa forma, ensinar a construção de uma vida feliz não tem a ver com materialismo.

Tem mais a ver com ensinar a empregar as forças pessoais (veja aqui) nos próprios projetos de vida, ensinar a ter otimismo aprendido, ensinar o jeito certo de pensar, ensinar a manter laços afetivos com amigos e familiares e ensinar a ter a sensação de significado em sua vida.

Depois de explicar isso, faço minha última pergunta: você educa seu filho assim?

 




TAGS :

    filhos, pais, psicologia, positiva

Miriam Rodrigues

Miriam Rodrigues é psicóloga, especialista em Psicologia Clinica e em Medicina Comportamental pela UNIFESP. Idealizadora da Educação Emocional Positiva, programa psicoeducacional para se trabalhar as competências socioemocionais e as habilidades para o bem estar, presente em todos os estados brasileiro. Autora e coautora de diversos livros na temática de Psicologia Positiva, Educação Emocional e Terapia Cognitiva. www.educacaoemocionalpositiva.com.br



ENQUETE

Um post na web traz a seguinte afirmação: muitos homens não procuram a mulher das suas vidas, mas sim a substituição de uma mãe. Você concorda?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.