DESTAQUES

De A a Z: o real significado de ocultar o par socialmente

Anette Lewin 08/02/2019 PSICOLOGIA
De A a Z: o real significado de ocultar o par socialmente
Fonte: imagem Pixabay
Verbete de hoje: ocultar o par

Verbete explicado a partir do e-mail enviado por uma leitora:

“Estou namorando há mais de um ano. Meu namorado nunca quis me levar para conhecer a família dele. Após eu ter exigido com muita relutância, ele acabou me levando um dia. Mas a mãe dele lhe disse que ‘Deus havia dito pra ela que eu não era mulher pra estar com ele.’ Ele é mais novo do que eu 13 anos. Detalhe, além dele não me levar pra conhecer a família dele , ele não me apresenta nem um amigo, não tira fotos comigo. Mas me dá presentes caros, me ajuda financeiramente. E isso me deixa na dúvida, porque diante do fato dele me esconder das pessoas, eu já teria pulado fora da relação, mas como ele me ajuda financeiramente, fico achando que é só uma fase, mas ao mesmo tempo minha autoestima vai minando, porque fico pensando que ele se envergonha de mim. Sou uma mulher muito bonita, trabalhadora e honesta, mas essas qualidades vão ficando em segundo plano diante dessa situação. O que eu faço?”

Por Anette Lewin  

Nem sempre o relacionamento amoroso que funciona entre o casal sobrevive ao social. Principalmente quando as pessoas envolvidas são sugestionáveis e dependentes da aprovação de terceiros. Parece ser o caso do seu namorado.

Embora se sentindo bem ao seu lado, existe uma clara oposição da mãe. Isso explica, em parte, ele não querer envolver você com família e amigos. Por quê? Bem, talvez, como foi dito, por uma questão de “imagem social”. Na cabeça dele, e dos familiares, algo em você faz com que ele tenha dúvidas sobre assumir ou não o relacionamento que já têm há  um ano. O que poderia ser?

Você se define como uma mulher bonita, trabalhadora e honesta. Ate aí, tudo certo. 13 anos mais velha do que ele. Aí, talvez, haja algum preconceito social que pode influenciá-lo. Mas não seria, por si só, um motivo para grandes dúvidas da parte dele.

Talvez o que realmente gera dúvidas nele, seja o que você sente por ele, afetivamente falando. Veja como você fala de seus sentimentos: “diante do fato dele me esconder das pessoas eu já teria pulado fora da relação, mas como ele me ajuda financeiramente fico achando que é só uma fase”. Aí pergunta-se: o que você realmente sente por ele?

O que é gostar de alguém para você?

Estaria disposta a aceitá-lo mesmo com seus “defeitos”? Você realmente gosta dele ou gosta dos presentes que ele te dá? Está disposta a esperar e batalhar por ele, mesmo que demore? Sim, enquanto seus sentimentos por ele não estiverem claros, e seus limites pessoais não forem traçados por você, ficará muito difícil você sair dessa situação.

Deve ser muito desconfortável estar nas mãos de alguém que não tem certeza do seu amor por você. Mas, acredite, essa é a situação mais comum entre casais. Essa certeza vai se criando aos poucos, com a convivência, não nasce pronta. Assim, avalie se essa pessoa um tanto insegura, um tanto dividida, um tanto influenciável, é realmente a pessoa com quem você quer ficar. Porque mesmo que a família aceite você, essas são características dele que, dificilmente mudarão.

Assim, entenda que a decisão não está só nas mãos dele, está na sua também. Mas para que você assuma essa decisão, deve encontrar motivos fortes e significativos para ficar com ele ou largá-lo. Receber presentes caros nunca foi e nunca deveria ser o fiel da balança. Talvez ele os dê para você porque tem condições financeiras para isso; talvez porque quer, de algum modo, compensá-la pela certeza que ele não pode dar. Assim, ao invés de buscar certeza nas atitudes dele, busque essa certeza nos seus reais sentimentos por ele e nas reais características dele.  Isso ajuda bastante na tomada de decisão.

Atenção!
Este texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um psicólogo e não se caracteriza como sendo um atendimento.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga Anette Lewin responderá sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Esta resposta possui dois formatos: 1º formato: responder as perguntas enviadas pelos leitores. 2º) formato: de A a Z, explicar através de uma palavra em específico (verbete) o significado do que sentimos ao amar. Esta palavra será extraída de um e-mail enviado pelo leitor a esta coluna. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



TAGS :

    amor, psicologia, comportamento

Anette Lewin

É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.



ENQUETE

Você acredita na lei de causa e efeito ou lei do carma?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.