DESTAQUES

Conheça o aspecto positivo e negativo de seu número cármico

Redação Vya Estelar 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO

por Johann Heyss

Neste artigo vamos abordar a questão do carma no mapa numerológico.

Para entender o que é carma, é preciso primeiramente entender o significado deste termo sânscrito, que vem a ser "ação". Assim, o carma é a ação, e os resultados inerentes a cada ação. Portanto, pode haver "bom" ou "mau" carma: nada mais incorreto que a expressão popular que diz "isso é carma", como se dissesse "isto é castigo".

O que são números cármicos?

Alguns livros de numerologia insistem em considerar os números 13, 14, 16 e 19 como sendo números "kármicos". Isto é totalmente incorreto, pois seria o mesmo que dizer que somente estes números específicos seriam resultado de uma ação anterior, causando um efeito no presente. Bem, primeiramente, não podemos associar a teoria da reencarnação com a numerologia, pois isso seria restringir a numerologia àqueles que acreditam em tal tese.

Como a tendência do esoterismo moderno é buscar uma comprovação factual e prática de suas técnicas, e não manter noções religiosas ou supersticiosas, não há porque sustentar tal ligação. Eu, particularmente, como indivíduo, não tenho uma conclusão formada sobre este assunto, não nego a possibilidade da reencarnação, mas também não acredito cegamente em tal teoria. Portanto, relacionar a presença destes números no mapa numerológico com a teoria da reencarnação é algo restritivo - assim como seria excluir esta mesma tese. São pesquisas distintas, e relacioná-las de maneira obrigatória seria o mesmo que acoplar a noção cristã de pecado à numerologia.

A numerologia é para todos: cristãos, budistas, hinduístas, pagãos, ateus, agnósticos... A numerologia é uma técnica que funciona em si mesma, não depende de crença ou de religião. Portanto, se por um lado a numerologia não exclui nem nega qualquer religião ou filosofia, por outro lado não pode estar ligada de maneira implícita a nenhuma delas, sob pena de tornar-se sectária. É como a psicologia, que independe da crença religiosa ou filosófica para funcionar.

Podemos concluir então que os referidos números são tão "kármicos" quanto quaisquer outros, já que a existência deles em si representa tanto causa quanto efeito - e a lei do carma nada mais é que a lei de causa e efeito. É preciso saber separar bem, quando se lida com a numerologia ou qualquer outro sistema esotérico, o que é superstição e crendice daquilo que resiste a uma análise mais exigente.

O que é carma?

Como já vimos, a palavra carma significa ação, resultado, e também destino, sendo a base filosófica de várias religiões orientais, particularmente o budismo e o hinduísmo. A soma das ações de uma pessoa cria seu presente e delineia seu futuro.

No mapa numerológico, carma é o nome de uma posição que revela nosso crédito ou débito espiritual nesta vida. Se desejarmos interpretar esta posição em nosso mapa como sendo o resultado de nossas ações em vidas passadas, não há problema. O problema começa quando interpretamos os mapas de outras pessoas e usamos esta associação - como saber se a pessoa analisada aceita a teoria da reencarnação? Se ela aceitar, perfeito, mas caso contrário haverá imediatamente um desencaixe e uma sensação de que o mapa numerológico depende de uma concepção espiritual para ser usado, e isto não é verdade.

A reencarnação é uma possibilidade aceita por muitos, mas mesmo dentre aqueles que a aceitam, há diferentes correntes de pensamento. Há a tendência da maioria que advoga a idéia da reencarnação, a mais conhecida, de que simplesmente morremos e encarnamos novamente em um corpo físico no planeta Terra, até completarmos nosso ciclo evolutivo. Há também aqueles que consideram que a reencarnação pode incluir a transmigração, o que significa que a reencarnação não se daria obrigatoriamente em corpos humanos, sendo possível reencarnar como animal, ou mesmo como mineral. E há ainda quem considere que a reencarnação pode se dar em outros planetas, ou que o mero fato de o corpo físico se dissolver e voltar a fazer parte da terra e dos vegetais também serviria para a alma, que poderia então se dissolver no todo da existência.

Teorias mais recentes, à luz da descoberta do DNA, sustentam que a reencarnação e o efeito kármico se daria pelo destino gravado no DNA, o que explicaria lembranças de vidas passadas como memórias de DNA, ou seja, memórias de seres antepassados que geraram o DNA presente.

A maneira mais simples e imparcial de lidar com a questão no mapa numerológico seria apresentar o carma meramente como um conjunto de créditos ou débitos inerentes à pessoa desde o nascimento, ou seja, um DNA espiritual ou coisa do tipo, um conjunto de facilidades e dificuldades próprias daquele indivíduo.

Como calcular o carma no mapa numerológico

Para encontrar o carma no mapa numerológico, é preciso somar os números do Interior, da Síntese (clique aqui ), do Caminho do Destino (clique aqui) e do dia do nascimento.

Por exemplo, uma pessoa cujo Interior seja 35, cuja síntese seja 85, cujo dia de nascimento seja 20 e caminho do destino seja 1996, fará a soma da seguinte maneira:

35 + 85 + 20 + 1996 = 2136, o qual deve ser reduzido:
2 + 1 + 3 + 6 = 12/3

Desta forma, o carma deste indivíduo vem a ser 12/3.

Como interpretar o carma no mapa numerológico

Ressalto sempre que as indicações dadas nos artigos em Fatos e Números são um ponto de partida para o estudo, devendo ser aprofundadas e expandidas. As definições de positivo e negativo para os principais números servem para dar uma idéia do que representa o carma no mapa, mas um estudo mais dedicado do tema através de livros especializados é fundamental para uma maior compreensão do assunto.

Além disto, o papel de um número no carma depende muito do contexto do mapa em questão. Uma pessoa com ausência de número 1 terá mais dificuldades em aproveitar o lado bom do número no carma, enquanto que alguém com números 1 harmoniosos no mapa certamente saberá exercer mais facilmente as qualidades positivas do número.

Posto isso, vejamos os aspectos principais dos números elementares e mestres no carma:

Carma 1

Positivo: Independência, liderança, facilidade em abrir caminho por si só.

Negativo: Arrogância, pretensão, imposição, autoritarismo.

Carma 2

Positivo: Compreensão, colaboração, sensibilidade, flexibilidade.

Negativo: Inação, preguiça, covardia, dependência excessiva.

Carma 3

Positivo: Comunicabilidade, criatividade, facilidade em fazer amigos.

Negativo: Uso descontrolado e leviano da comunicação, infantilidade, descompromisso.

Carma 4

Positivo: Força de vontade, disciplina, disposição para o trabalho, organização.

Negativo: Bloqueio, repressão, preconceito, limitação.

Carma 5 

Positivo: Liberdade, adaptabilidade, jovialidade, bom humor.

Negativo: Inconseqüência, irresponsabilidade, leviandade, hedonismo.

Carma 6

Positivo: Laços familiares, equilíbrio comunitário, compaixão, solicitude.

Negativo: Invasão de privacidade, hipocrisia, ciúme, indecisão.

Carma 7

Positivo: Inteligência, introspecção, estudo, bom senso, profundidade.

Negativo: Isolamento, frieza, mordacidade, melancolia.

Carma 8

Positivo: Senso de justiça, habilidade material, altivez, ambição.

Negativo: Ganância, cupidez, tendência a ser dono da verdade, materialismo.

Carma 9

Positivo: Senso democrático, rapidez de pensamento, abertura à evolução.

Negativo: Ansiedade, descontrole, pressa, impulsividade.

Carma 11

Positivo: Visão de largo alcance, espiritualidade nata, ausência de preconceito, pioneirismo.

Negativo: Obsessão, sensação de deslocamento (não se encaixa em nenhum grupo).

Carma 22

Positivo: Resistência, firmeza, amplitude espiritual, capacidade de realização de projetos grandiosos.

Negativo: Complexo de inferioridade, bloqueio emocional, tendência a colocar-se como vítima.




Redação Vya Estelar

Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.



ENQUETE

Você acredita na lei de causa e efeito ou lei do carma?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.