DESTAQUES

O que fazer quando o dependente passa a roubar objetos de casa para trocar por drogas?

Danilo Baltieri 01/01/2016 COMPORTAMENTO

por Danilo Baltieri

Resposta: Furtar objetos ou valores da própria casa para trocar por drogas não é uma queixa incomum entre familiares de dependentes químicos. Quando isso estiver acontecendo, evidencia-se um forte sinal de perda do controle diante do consumo de substâncias e os familiares NÃO podem, sob quaisquer pretextos, fazer “vistas grossas” diante dos fatos.

Em um indivíduo que desenvolveu o quadro de Síndrome de Dependência de substâncias, a fissura ou “craving” para consumir a droga pode ser tão intenso, como frequentemente é, a ponto de motivar o mesmo a fazer de tudo para angariar a droga. Isso inclui, por exemplo, o furto de objetos ou valores da sua própria casa ou de terceiros. Às vezes, também infelizmente, o dependente químico começa a roubar para manter o seu próprio vício.

Devemos lembrar que tanto o “furto” quanto o “roubo” são atividades ilícitas contra a propriedade e devem ser combatidos e evitados. Se o dependente químico estiver praticando atividades ilícitas, ele não deve ser poupado das suas responsabilidades. Isso não significa peremptoriamente que deve ser preso; isso significa que ele deve ser adequadamente tratado. Ele precisa reconhecer o mal que está fazendo contra ele mesmo e contra as outras pessoas, assumindo-o. Na verdade, quanto mais cedo for o tratamento, menores serão as repercussões negativas do comportamento do indivíduo dependente.

Nessas situações, o tratamento médico se impõe de forma clara. Tanto os familiares quanto o paciente deverão estar inseridos em um tratamento sério.

Os familiares devem conduzir o dependente para avaliação médica especializada. Caso o paciente se recuse a comparecer, os familiares deverão procurar o auxílio médico sem a presença do doente e detalhar toda a situação para o profissional. Com todos os detalhes fornecidos, o profissional seguramente avaliará a situação e proporá medidas para auxiliar tanto o doente quanto os familiares.

Lembro, nesse sentido, que essa avaliação deverá ser realizada por profissional médico especializado na matéria.

Você tem um problema bastante sério na sua casa que precisa ser adequadamente resolvido. Não perca tempo!

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. O psiquiatra Dr. Danilo Baltieri responderá questões ligadas à dependência química e vícios: drogas, álcool, cigarro e psicotrópicos. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Danilo Baltieri

Médico psiquiatra. Mestre e doutor em Medicina pelo Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Atualmente é coordenador geral do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Instituto de Psiquiatria da FMUSP (GREA-IPQ-HCFMUSP).Tem experiência em Psiquiatria Geral, com ênfase nas áreas de Dependências Químicas.



ENQUETE

Como você vem cultivando suas relações?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.