DESTAQUES

Alucinação auditiva nem sempre é sinal de doença mental

Redação Vya Estelar 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR
Saiba aqui os sintomas

Da Redação

Considerada um tipo de psicose, a esquizofrenia afeta o julgamento crítico que as pessoas fazem do mundo e as alucinações auditivas percebidas somente por eles são características da doença. O conteúdo das vozes, na maioria das vezes, é claramente identificado e tem uma conotação depreciativa ou de perseguição.

Especialistas alertam para o fato de que algumas pessoas com sintomas similares nem sempre têm doenças mentais. O Grupo de Pesquisa em Zumbido da Faculdade de Medicina da USP, através de atendimentos, identificou nos últimos dois anos e meio, mais de 17 casos de pacientes que apresentaram alucinose auditiva.

Segundo a Profa. Dra. Tanit Ganz Sanchez, otorrinolaringologista e chefe do Grupo, a alucinose dos pacientes atendidos foi identificada principalmente como sons de músicas sem controle, vozes não identificadas ou de chamados do próprio nome. Diferente do que a equipe pensou num primeiro momento, nenhum desses casos teve diagnóstico de esquizofrenia ou outro tipo de psicose. A grande maioria apresentou esse quadro em decorrência de perda auditiva antiga sem tratamento, associada ou não a uma depressão.

Todos os pacientes atendidos eram extremamente conscientes do seu problema e tinham o julgamento preservado de que esses sons eram produzidos pelo seu cérebro, diferente do que ocorre com os pacientes que sofrem com a esquizofrenia. “Ouvir essas músicas da alucinose nem sempre é desagradável para os pacientes - por exemplo, quando ouvem o Hino Nacional, Ave Maria ou O Carinhoso ou marchinhas de carnaval, mas eles se preocupam com o fato delas se repetirem frequentemente. É importante diferenciar as duas coisas para não gerar pânico desnecessário”, comenta a especialista que, além do Grupo de Pesquisa em Zumbido, também coordena o Grupo de Apoio a Pessoas com Zumbido (GAPZ).

Alucinose e zumbido

A alucinose pode ou não ter uma relação com o Zumbido – sintoma que atinge 28 milhões de brasileiros e que gradativamente vem acometendo mais jovens. Diferente das alucinações, geralmente ocorre em pacientes que não recebem tratamento adequado para perda auditiva. Para prevenção é necessário a devida atenção e conscientização sobre os riscos que habitualmente enfrentamos quanto aos ruídos externos de alta intensidade.

Conheça as principais diferenças

Alucinose auditiva


Paciente com crítica (compreende que o som produzido vem do próprio cérebro)

Tendência de ter perda auditiva

Pode ou não ter depressão associada

Profissional Responsável: Otorrinolaringologista e Psicólogo

Alucinação auditiva por esquizofrenia

Falta de crítica (correspondem as ordens das vozes)

Não apresenta perda auditiva necessariamente

Paciente com depressão psicótica

Profissional Responsável: Psiquiatra

SERVIÇO

O GAPZ que presta serviços voluntários nas cidades de São Paulo, Campinas, São José do Rio Preto, Curitiba, Brasília, Salvador, Rio de Janeiro e em São Luis do Maranhão pode ser considerado um complemento do tratamento de cada paciente e só poderão encontrar ajuda no Grupo aqueles pacientes que possuírem alucinose relacionadas a Zumbido e/ou perda de audição. Os pacientes que apresentam sintomas de esquizofrenia - sem Zumbido ou perda auditiva - devem procurar um especialista na área da psiquiatria e tratamentos individuais para um melhor resultado.




Redação Vya Estelar

Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.



ENQUETE

É possível ser você mesmo no ambiente de trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.