DESTAQUES

Aluna e professor: esse tipo de relacionamento pode dar certo?

Eduardo Yabusaki 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Essa situação é delicada

por Eduardo Yabusaki

Essa situação é muito comum. Entretanto, é importante esclarecer que em parte esse apaixonamento entre aluna e docente pode acontecer de forma unilateral e idealizada. Afinal, o professor tem naturalmente uma posição privilegiada de detentor de conhecimento, sabedoria e experiência, o que o torna um ser envolvente, atraente e interessante, pela sua posição imposta pela estrutura do processo de aprendizagem.

É sempre muito importante avaliar quem realmente está por trás dessa figura emblemática (o mestre), que pode ser tudo isso, fazendo com que o interesse possa ser fundamentado na cisão desses dois lados: primeiro o do papel de professor e segundo o de homem interessante... e dessa forma despertar interesses extra-acadêmicos. Entretanto, há de se cuidar ou evitar a manifestação desses sentimentos em ambientes que possam ter efeitos constrangedores para ambos.

Se o sentimento despertado for mesmo significativo, é importante avaliar se pode ser correspondido, para que a frustração não seja maior que a paixão vivida. Portanto, observe e verifique se pode haver algum grau de reciprocidade; se negativo, é melhor pensar duas vezes antes de continuar nutrindo esses sentimentos ou fantasias. Se não houver a menor indicação que possa existir algum interesse da parte dele, não vale a pena se expor ou ter qualquer iniciativa em despertar a atenção dele, afinal o risco de não dar certo é muito alto.

Caso haja algum tipo de manifestação da parte dele, ainda assim, é preciso ter cuidado para que não venha a comprometer a relação inicial principal, que é de professor e aluna, o que tornaria a aproximação eticamente inviável, portanto atente para algumas questões.

Cinco cuidados ao paquerar seu professor:

1. Antes de dar vazão ao seu apaixonamento, observe e verifique se há algum interesse da parte dele, para que não se exponha demais e passe por algum constragimento sem necessidade;

2. Ser discreta é sempre uma boa alternativa em situações de risco como essa. Afinal, a relação professor/aluna está acima de qualquer outro assunto;

3. Procure situações externas à escola para uma aproximação maior; evite o local de trabalho dele e de seu estudo para que não corra o risco de interferências negativas;

4. Se seus sentimentos são mesmo significativos e intensos - e perceber que é correspondida - arrisque e acredite, pois vale a pena viver emoções intensas que podem conduzir a uma grande paixão e mesmo a um grande amor;

5. Oportunidades surgem independente da relação que exista, seja: professor/aluna, chefe/subordinada, e assim, sempre que existirem pessoas envolvidas tudo pode acontecer, portanto não tenha receio, mas sim cautela e cuidado.

Não tenha medo de ser feliz, invista sempre que seus sentimentos mostrarem que vale a pena.




Eduardo Yabusaki

Eduardo Yabusaki - Psicólogo e Sexólogo Especializado em Terapia Comportamental Cognitiva, Terapia de Casal e Terapia Sexual. Coordenador do Curso de Sexologia Clínica ministrado em diferentes cidades há mais de 15 anos. Docente convidado do Curso de Fromação em Sexologia Clínica de BH. Responsável pelo www.vidadecasalbh.com.br



ENQUETE

Você acredita na lei de causa e efeito ou lei do carma?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.