DESTAQUES

No meu novo emprego fico muito ocioso. O que faço?

Roberto Santos 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Inatividade é fonte de desgaste emocional

por Roberto Santos

"Estou descontente com meu novo emprego, pois não tenho muitas atividades (quase nenhuma) e este fato me incomoda bastante. Em trabalhos anteriores eu quase não parava, sempre em busca de novos desafios e agora não sei como buscar estes desafios. Poderia me dar alguma dica?"

Resposta: Talvez seu anseio possa parecer estranho para muitas pessoas que podem até invejá-lo por encontrar um emprego em que não tem muitas atividades (quase nenhuma, como diz) e, se você trocou o anterior por esse, é que deve ter uma remuneração igual ou melhor.

É como se você estivesse vivendo um período de férias remuneradas sem nenhuma cobrança. Porém, seus valores e bom senso lhe dizem que isso não é bom para seu bem-estar e sua carreira. Você deve ter uma forte motivação pela realização e sucesso, ávido por desafios e ao vencê-los, já busca outros, portanto a inatividade é fonte de desmotivação e desgaste emocional.

No mundo atual, mais estranho do que alguém reclamando de que não tem o que fazer, é uma empresa que desperdiça um recurso como você, com aquela motivacão, enquanto em grande parte das empresas, todos estão como você na empresa anterior -- não param e estão sempre devendo. Portanto, algo está errado, e não é com você!

Pode ser um momento da empresa que está em algum momento de transição não transparente para você -- mudança de controle acionário, de gestão, de foco de negócio, etc -- e não têm como priorizar as atividades atuais. Sua contratação pode ter sido decidida em função de algum contrato ou grande projeto que não se materializou e podem estar estudando a relocação dos recursos.

Enfim, várias mudanças podem estar sucedendo dentro da empresa ou em seu entorno. O que não muda, é sua motivação e sua carreira, e ninguém é mais dono delas do que você mesmo. Por esse motivo, procurar seu/sua gestor(a) e se oferecer para algum projeto especial -- além de suas "atividades atuais" (mesmo que quase inexistentes), pode ser muito bem-vindo e você abre espaço para uma consideração diferenciada da empresa.

Caso não tenha ouvidos a essa solicitação e o cenário não mude, você deve usar seu ócio de forma criativa -- fazendo cursos online, fazendo leituras e mandando seu CV, mas a última coisa a fazer é deixar sua valiosa motivação de realização escorrer pelos ralos da incompetência gerencial dessa empresa.

Boa sorte!




Roberto Santos

Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br



ENQUETE

Quem não tem cão caça com o “ex”, que está receptivo. Você concorda?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.