DESTAQUES

Meu filhinho precisa ir ao psicólogo, mas não quer ir. O que faço?

Redação Vya Estelar 01/01/2016 PSICOLOGIA
Psicólogo: 'médico' dos sentimentos

por Silvia Maria de Carvalho

Resposta: Primeiro é preciso explicar à criança o que é um psicólogo. É mais fácil aceitar um tratamento se temos clareza do que vamos encontrar pela frente. Dizer que todos enfrentam problemas e que existe um profissional chamado psicólogo, que pode nos ajudar a resolvê-los, é fundamental para essa compreensão. Assim como tem o "médico do joelho", se a gente cai, tem o "médico" dos sentimentos.

O que podem ser esses problemas e de onde eles vêm?

Brigar muito, não conseguir repartir, ficar nervoso, quieto demais ou se preocupar o tempo todo. Problema é algo que faz você se sentir mal. Pode até fazer a pessoa ter vontade de chorar, bater num amigo ou ficar sozinho. E quando a gente não sabe de onde vem esses problemas, não podemos mandá-los embora. É nessa hora que precisamos de ajuda.

O psicólogo ajuda as crianças a conhecerem suas preocupações e seus sentimentos.

Como funciona a terapia com uma criança?

Os pais vão conhecer o psicólogo e falar sobre os problemas de seu filho. Depois a criança vai ao consultório. E pode conversar com o profissional tudo aquilo que quiser, durante 50 minutos, uma vez por semana. Às vezes, os pais voltam para conversar também. Tudo que você falar para seu psicólogo, ele guarda em segredo.

As crianças melhoram mais rápido quando os pais também conversam com o psicólogo. E este, tendo mais informações, vai ajudar a criança a fazer coisas diferentes para enfrentar seus problemas.

Nem sempre falamos sobre sentimentos tão claramente, por isso, além de conversar, as crianças brincam, desenham e jogam. Porque assim, mostram suas atitudes também. O psicólogo ouve, observa, compreende, brinca, joga e conversa.

Sentimentos de toda ordem na terapia

É normal a criança se sentir irritada, confusa, triste, brava, interessada, durante as sessões de terapia. Uma porção de sentimentos intensos e contraditórios. E isso é também falado com o psicólogo. E quanto mais se conversa sobre todos esses sentimentos, mais os problemas vão ficando menores e menores. Melhorar é difícil e leva tempo, mas é totalmente possível. E há um momento de ir embora do tratamento. E se tiver saudade, pode voltar a conversar com o psicólogo quando quiser ou precisar.

E mais

Quando uma infecção ataca nosso organismo, é preciso tomar antibióticos. Não há alternativa. Portanto, há coisas que as crianças não podem escolher. Os pais devem assumir a direção do caso. O que pode ser combinado é quem será o terapeuta: por exemplo: visitar dois terapeutas e a criança decide pelo que se sentir mais à vontade.

De fato, nada disso é tão trágico. Nada que uma boa conversa, clareza e pulso firme não possam reslver.




Redação Vya Estelar

Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.



ENQUETE

Você acredita na lei de causa e efeito ou lei do carma?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.