DESTAQUES

Seu joelho dói e parece que vai se deslocar? Saiba como tratar

Juliana Prestes Mancuso 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR

por Juliana Prestes Mancuso

A instabilidade fêmoro-patelar (ou seja instabilidade na rótula) é uma das desordens mais frequentes da articulação do joelho na adolescência. É mais frequentemente visto em meninas, na segunda década, e pode acometer um ou ambos joelhos.

A dor é sentida na frente do joelho e acontece quando a patela está sendo comprimida contra o encaixe femoral. A característica mais marcante da patologia é a sensação de que o joelho vai deslocar a cada momento. Evidentemente esse sintoma varia com o grau de instabilidade.

O mau alinhamento do aparelho extensor é um problema comum na prática ortopédica, sendo causa de instabilidade e dor na região anterior do joelho, acometendo, principalmente pacientes do sexo feminino (devido aos fatores hormonais). A dor patelo-femural é uma deficiência comum que afeta um em cada quatro indivíduos da população em geral.

Devido à grande incapacidade que a instabilidade da articulação femoropatelar provoca no paciente, seja para o desenvolvimento da prática esportiva e mesmo em suas atividades diárias (no caso de não atletas), o tratamento dessa patologia é motivo de grande interesse. As operações usadas no tratamento das luxações da rótula podem ter bons resultados imediatos, mas não curam o paciente a longo prazo. Indica-se o tratamento cirúrgico para aqueles pacientes que não obtiveram melhora significativa após 6 meses de fisioterapia.

O tratamento deve ser associado com alongamento dos músculos dessa região - os isquiotibiais e gastrocnêmios. Seus encurtamentos aumentam a pressão sobre o femoropatelar, podendo ser causa de dor durante a reabilitação, já que dessa forma tracionam mecanicamente a tíbia posteriormente.

Com isso, o tendão patelar será também tracionado juntamente com a patela, aumentando a pressão contra o fêmur. Portanto, o alongamento da musculatura posterior deverá trazer algum alívio. O encurtamento do quadríceps também acarreta aumento da pressão femoropatelar e essa pressão será tanto maior quanto maior for o encurtamento do músculo.




Juliana Prestes Mancuso

É formada pela Universidade Anhembi Morumbi, especializada em Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica pelo Instituto Cohen de Ortopedia e Medicina Esportiva, Fisiologia do Exercício pela Universidade Veiga de Almeida, Fisioterapia do Sistema Musculoesquelética pela Universidade São Marcos e em acupuntura e medicina chinesa pelo Centro Científico Cultural Brasileiro de Fisioterapia. É responsável pelo site e grupo de discussão Fisioterapeutas Plugadas.



ENQUETE

Qual o preço de se buscar a perfeição?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.