DESTAQUES

Entenda a doença de Kienböck

Juliana Prestes Mancuso 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR

por Juliana Prestes Mancuso

A doença de Kienböck é caracterizada por colapso (necrose) do osso semilunar, localizado no punho e por alterações vasculares de causa desconhecida, ou seja, idiopática. A maior incidência ocorre em homens jovens, mas não se sabe por quê.

Seu quadro clínico é caracterizado por dor e edema (inchaço) na região do punho, diminuição da força da mão, seguida de diminuição da mobilidade na região acometida.

Atualmente duas teorias parecem explicar melhor a sua evolução, pelo menos na maioria dos casos: a teoria traumática e a teoria dismórfica (desigualdade do comprimento radioulnar distal - radio e ulna são os ossos do antebraço e fazem articulação com os ossos do carpo – punho - entre eles o osso semilunar.

Há diferentes estágios da doença, classificados de acordo com o comprometimento do osso semilunar e da articulação rádiocárpica. Com a necrose do osso semilunar, esse vai sendo reabsorvido e diminuindo de tamanho, com isso outros ossos mudam sua posição ocupando a antiga localização do osso afetado. Essa movimentação causa muita dor.

O tratamento para doença de Kienböck depende do estágio da doença. A fisioterapia ajuda muito, podendo variar o tipo de aparelho a ser utilizado, tipo de exercício e local (hidroterapia –“molhado”- ou fisioterapia convencional - “seco”).

Após algumas sessões de fisioterapia, dependendo da evolução do caso, o paciente pode continuar sentindo dores ou tê-las diminuídas.

Na fase inicial, imobilização do punho pode ajudar. Em torno de 50% das pessoas com doença de Kienböck têm o rádio alongado, nessa situação, cirurgia com encurtamento do rádio pode ser benéfica ao paciente. Em estágios avançados, onde o osso semilunar não é mais viável, a cirurgia indicada é a artrodese (fusão dos ossos do punho) ou ressecção da primeira fileira dos ossos do carpo.




Juliana Prestes Mancuso

É formada pela Universidade Anhembi Morumbi, especializada em Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica pelo Instituto Cohen de Ortopedia e Medicina Esportiva, Fisiologia do Exercício pela Universidade Veiga de Almeida, Fisioterapia do Sistema Musculoesquelética pela Universidade São Marcos e em acupuntura e medicina chinesa pelo Centro Científico Cultural Brasileiro de Fisioterapia. É responsável pelo site e grupo de discussão Fisioterapeutas Plugadas.



ENQUETE

Você acredita na lei de causa e efeito ou lei do carma?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.