DESTAQUES

A vida é como um livro, edite sua própria história

Lilian Graziano 01/01/2016 PSICOLOGIA
A vida é como uma publicação: é possível tomar as rédeas de sua edição

por Lilian Graziano

Impus a mim mesma o desafio de escrever um livro sobre Psicologia Positiva, e deparei-me com um material muito próximo do que gostaria de publicar, no conjunto dos textos que escrevo há anos para a revista Psique Ciência & Vida, da Editora Escala, em uma coluna mensal.

Ali falei sobre tudo o que circunda o universo dessa abordagem que estudo e pratico. E como são crônicas, elas têm, também, muito de minha vida, meu humor, meu cotidiano entrelaçado às minhas experiências com a Psicologia Positiva.

Foi muito prazeroso reler esse material para compor o livro, perceber como pontos de vista se complementam, se reforçam, e a mensagem implícita em cada um dos escritos.

Ainda que, em uma comparação, eu tenha analisado textos de épocas diferentes, que comentavam pontualmente eventos relacionados ao momento, percebo que os diversos escritos me levaram (e provavelmente levaram o leitor) a lugares muito próximos uns dos outros, locais em que residem as minhas convicções, vizinhas, partilhantes de um mesmo quintal: a crença na possibilidade de ser feliz.

Evidenciou-se, assim, a proposta do livro. Partindo dos tais escritos, escolhi dar forma à publicação com uma síntese desse "quintal" comum de meus achados, que pudesse revelar ao leitor um insight em seu próprio caminho rumo à felicidade.

"Só a beleza salvará o mundo", disse uma vez Dostoiévski, sem se dar conta de tamanha sabedoria contida nessa frase, elevando o conceito de beleza para outros patamares que não estéticos ou visuais. E foi partindo do texto que comenta essa citação, de coisas belas que descrevi, das mensagens positivas, capazes de provocar emoções positivas e aprendizados significativos para um desenvolvimento pleno, que organizei o livro (em fase de finalização). Foi quando me dei conta, também, de tamanha semelhança desse processo com minha própria vida.

Os textos, reunidos assim, com um claro objetivo, confundem-se com o objetivo de minha própria existência. Pois é cercada de beleza e felicidade que quero estar, que pretendo que se encontrem meus pacientes e alunos, assim como procurei "cercar" o leitor com meus artigos recheados desse explícito recado.

Penso, ainda, que, sendo assim, esse livro é, a partir das diversas situações cotidianas que narro, para fazer o leitor escrever o seu próprio "livro", editando-o com um foco ajustado em uma vida mais feliz. Afinal, a vida é mesmo como uma publicação: é possível tomar as rédeas da edição, fazer com que os escritos tenham significado relevante, escolher as imagens e, ao longo de todas as páginas (e não só ao final), pode-se exprimir uma mensagem positiva.

Escrever livro poderá ajustá-lo para uma vida mais feliz

Desse modo, recomendo que, a partir de meus escritos, ou de outros, edite seu próprio livro - reescreva as partes, crie novos capítulos, publique o que for bonito, consistente, educativo, o necessário para motivar quem o cerca e até mesmo você, leitor, escritor de sua própria história. O resto é material que se usa no aprimoramento da escrita de nossa própria jornada, não tem outra função senão a de nos ensinar a escrever.

Lembre-se, ainda, que nenhum escrito é ruim: uma boa edição e capítulos interessantes intercalados aos mais dramáticos contam fortemente para um bom balanço geral da obra. Uma história feliz, bem-sucedida depende da arte de seu escritor em assim contá-la. E de ninguém mais.




Lilian Graziano

Diretora dos Instituto de Psicologia Positiva e Comportamento, psicóloga e doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP) com pós-graduação em Psicoterapia Cognitiva Construtivista. Seu doutorado sobre Psicologia Positiva e Felicidade foi a primeira tese brasileira baseada nessa abordagem. Atua há mais de 20 anos na Educação com foco no desenvolvimento de condutas preventivas para os comportamentos humanos disfuncionais. Possui certificação em Virtudes e Forças Pessoais pelo VIA Institute on Character, EUA. Treinou e atendeu centenas de funcionários de grandes organizações tais como: Coca-cola, Basf, Bank Boston, Accenture, British Petroleum, Merrill Lynch, Unilever, dentre outras.



ENQUETE

A morte trágica da bancária Lilian Jamberci, vítima do "Dr. Bum Bum", trará à luz uma reflexão sobre o vício da vaidade?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.