DESTAQUES

Muita sensibilidade à ingestão de bebida alcoólica é doença?

Danilo Baltieri 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR

por Danilo Baltieri

"O organismo da pessoa não reage bem ao uso de álcool, mesmo que sejam apenas alguns goles. O efeito é terrível como se tivesse ingerido litros. A pessoa tem ataques de ansiedade, irritabilidade, ciúme patológico, agressividade, raiva (dificuldade em controlá-la), violência, etc"

Resposta: Existem vários quadros clínicos e psiquiátricos relacionados ao consumo de bebidas alcoólicas.

Esses quadros dependem da susceptibilidade individual, transtornos psiquiátricos pré-existentes, associações com outras drogas, gênero, fatores genéticos, tipos de bebidas consumidas, capacidade individual para o metabolismo do álcool, status físico do bebedor, tolerância ao álcool e etc.

Um dos quadros psiquiátricos categorizados nos manuais diagnósticos médicos é a chamada intoxicação alcoólica idiossincrática (ou também conhecida como intoxicação patológica). Embora de validade altamente questionável correntemente e de ocorrência bastante rara, esse diagnóstico tem sido realizado por diferentes clínicos e pesquisadores ao redor do mundo há muito tempo. Nesse quadro, pequenas doses de etanol podem provocar reações comportamentais bastante exacerbadas e às vezes violentas. O intoxicado experimentaria amnésia para os eventos durante a intoxicação.

O termo Intoxicação Alcoólica Idiossincrática (ou Patológica) também tem sido utilizado nos manuais de Direito Penal, para designar um dos tipos de embriaguez. Segundo a doutrina, existem seis tipos de embriaguez, a saber: a culposa, a dolosa, a pré-ordenada, a acidental, a habitual e a patológica.

O álcool etílico altera o funcionamento de vários sistemas de neurotransmissores cerebrais, contribuindo para manifestações comportamentais variadas. Somado a isso, as características individuais, como aquelas relacionadas à personalidade, colaboram para o resultado do uso de bebidas alcoólicas.

Também, muitos indivíduos que bebem e se tornam violentos apenas dão vazão a comportamentos previamente existentes ou mesmo a pensamentos e atitudes disfuncionais.

Se você apresenta comportamentos bastante perturbadores após a ingestão de qualquer quantidade de bebidas alcoólicas, você deve evitar consumir álcool sob qualquer aspecto ou pretexto. Vale a pena realizar consulta com profissional especializado na matéria para tentar determinar possíveis desencadeantes desses comportamentos, além do próprio consumo de bebidas alcoólicas.

 

 

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. O psiquiatra Dr. Danilo Baltieri responderá questões ligadas à dependência química e vícios: drogas, álcool, cigarro e psicotrópicos. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Danilo Baltieri

Médico psiquiatra. Mestre e doutor em Medicina pelo Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Atualmente é coordenador geral do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Instituto de Psiquiatria da FMUSP (GREA-IPQ-HCFMUSP).Tem experiência em Psiquiatria Geral, com ênfase nas áreas de Dependências Químicas.



ENQUETE

Amor: você considera sua relação frágil?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.