DESTAQUES

Estudo de Harvard: prática de yoga, relaxamento, nutrição e gestão de emoções ajuda a engravidar

Redação Vya Estelar 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR

por Nicole Witek

 
A atriz australiana Cate Blanchett fez tratamento alternativo em spa para poder engravidar Com certeza você tem amigos que se queixam de não ter filhos. O problema é sério. 13% das mulheres entre 15 e 44 anos nos Estados Unidos sofrem de infertilidade. Às vezes fica difícil encontrar a verdadeira causa da infertilidade.

Trata-se de impossibilidades multifatoriais como: problemas externos devido à higiene de vida, alimentação industrial, taxa de poluição, calor excessivo nos escritórios, ou problemas internos como distúrbios hormonais, malformações ou os níveis de ansiedade e de estresse.

Um em cada cinco casais americanos tem dificuldades para conceber um filho. Na França, um em cada sete casais. Citando cifras francesas: a cada ano 40 mil casais buscam assistência médica para a procriação.

Nos Estados Unidos, entre 1996 e 2001, as fecundações artificiais cresceram 66%. A ajuda na procriação se tornou uma questão financeira bem lucrativa, custando 4 bilhões de dólares para os casais americanos. 90% desses casais optam por tratamentos pesados: fecundação in vitro, *dom de esperma ou de ovócito e inseminação artificial.

Muitos casais, decepcionados pela resposta da medicina convencional e a falta de resultados positivos, resolvem usar técnicas alternativas naturais complementares.

Basta surfar na internet para entender a amplitude do fenômeno. Encontra-se lá: o uso de feng shui para fertilização, desintoxicação voltada à procriação, o uso da “hipnofertilidade” para livrar-se das imagens negativas ligadas à maternidade, CDs de relaxamento a serem ouvidos antes da ovulação, velas de meditação para sustentar um mantra específico como: “sou uma mulher forte, capaz de sustentar uma maternidade”.

Existem também acupunturistas, reflexologistas, sofrologistas, professores de yoga ou de Pilates que propõem tratamentos para os desesperados do relógio biológico, quero dizer, gestação tardia e difícil, quando a ovulação não é mais da prima juventude ou o a qualidade do esperma é comprometida.

Há spas de luxo que propõem um coquetel de acupuntura, associado a outros tratamentos alternativos, caríssimos, para em 5 dias incentivar a fertilidade. “Certos casais estão tão desesperados que tentam tudo, até os últimos limites do bolso” diz Deborah Spar, professora de economia em Harvard e autora do livro The Baby Business.

Cate Blanchett, Kate Winslet, Nicolette Sheridan ou Courtney Cox Arquette são usuárias desses métodos, com boas razões.

Depois de ter controlado a fertilidade com diferentes recursos e de às vezes ter adiado muito a gestação para ter certeza de ter o par perfeito, o emprego perfeito, o lar perfeito, a situação se torna estressante: elas querem engravidar “agora”! 40% das mulheres nessa situação sofrem de ansiedade e/ou de depressão.

Os tratamentos clássicos só aumentam a pressão e o nível de estresse. A mulher é perfurada, inspecionada, revistada, submetida à cirurgia; o sexo tem que ser feito sob encomenda e com data marcada. Ninguém se interessa nela na sua globalidade, ela torna-se um útero a ser fertilizado.

Tomar conta da mulher na sua integralidade será um primeiro fator de alívio da ansiedade. Além disso, temos uma boa notícia:

A universidade de Harvard** conduziu um estudo sobre 184 mulheres tendo dificuldades para engravidar. Com duração de dez semanas, esse programa incluía relaxamento, prática de yoga, dicas sobre nutrição e gestão das emoções. Durante o ano que seguiu o programa, concluiu-se que:

– 50% das mulheres do programa tinham engravidado contra 20% das mulheres que não participaram do programa;

– 75% de sucesso contra 4% para quem fez uma FIV (fecundação in vitro) após os 42 anos, diz o Dr. Randine Lewis da clínica The Fertile Soul, nos Estados Unidos.

Sabemos que o estresse tem efeitos negativos sobre o corpo. Pior ainda nesse caso: o estresse altera o equilíbrio hormonal, principalmente dos hormônios que gerenciam o nível de fertilidade.

Graças a certas posturas e práticas de yoga, pode-se minimizar o nível de estresse e melhorar a produção hormonal, com a finalidade da criação de um novo ser.

Mesmo que seja difícil avaliar objetivamente o nível de estresse, constatamos que apesar dos progressos dos últimos anos, procriar ainda é um mistério para muitas pessoas. Existem parâmetros que escapam dos médicos e das estatísticas, chegando à conclusão que a fertilidade ainda tem questões sem uma explicação exata. De 20 a 50% dos casos onde a esterilidade não tem uma explicação racional, os médicos dizem que pode ser: bloqueios psicológicos, somatizações e medos. É aí que a medicina e as técnicas alternativas podem ter um papel extraordinário para ajudar os casais.

O yoga é um aliado perfeito entre as práticas que estimulam o equilíbrio hormonal, a percepção do corpo como um conjunto perfeito, o reforço da autoestima e da confiança nos mecanismos biológicos. É um momento voltado para si mesmo, longe do tumulto da vida social, profissional e médica. Esses são alguns fatores que devem incentivar o casal para uma prática saudável.

* Dom de esperma masculino: consiste em doar seu esperma com a meta de ajudar pessoas a procriar. O esperma e guardado numa instituição médica chamada "banco de esperma". O dom só pode ser feito por homens capaz de procriar que tenha menos de 45 anos.

**estudo conduzido por Mind/Body Medical Institute e Harvard Medical School e financiado pelo National Institute of Mental Health e Beth Israel Deaconess Medical Center (Boston)

Para aprofundar o assunto:

http://www.domarcenter.com/ Alice D. Domar, organiza treinos suaves para as mulheres que querem engravidar.
Dr. Randine Lewis : retiro http://www.thefertilesoul.com/
http://www.futura-sciences.com/fr/news/t/medecine/d/confirmation-dune-relation-entre-stress-et-fertilite_615




Redação Vya Estelar

Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.



ENQUETE

É possível ser você mesmo no ambiente de trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.