DESTAQUES

Será que você vive um amor real?

Tatiana Ades 13/01/2017 COMPORTAMENTO
Será que você vive um amor real?
Fonte: imagem Pixabay
Muitos tentam resgatar um modo de amar antigo, menos fútil

por Tatiana Ades

Infelizmente, perdemos o sociólogo polonês Zygmunt Bauman, que morreu aos 91 anos de idade, ainda muito lúcido e coerente.

Bauman nos trouxe pensamentos incríveis sobre amor, sociedade, sexo e cultura.

Ele afirmava que hoje em dia nada é sólido, os amores são líquidos, assim como as relações de amizade, trabalho, valores e sociedade.

Ele trouxe uma voz revolucionária e importante para nos fazer pensar e repensar o nosso próprio conceito de amar, ser amado, fazer sexo e fazer amor.

Bauman esteve comigo no consultório por diversos anos, metaforicamente falando, cada vez que eu via mais uma pessoa chorando por falta de amor real, lealdade, fidelidade e romantismo.

Presenciei essa sociedade líquida e escassa, que ele tanto falava, em olhares desesperados, em busca por sexo em troca de carinho, por separações catastróficas.
Muitas pessoas, e foram várias, afirmaram não acreditar mais no amor, alegando que o amor real seria coisa de filme. Em certo ponto elas estão certas. Não temos mais em nossa época, amores românticos onde existe a conquista. Não há mais a espera, o esforço, a base sólida da construção familiar.

De todo modo, é preciso saber que, mesmo em tempos de guerra, flores ainda existem.

Afinal, se tantas pessoas estão chorando acerca desse “amor perdido”, tais pessoas ainda sentem a nostalgia e a vontade de resgatar um amor antigo, ou seja, um modo de amar menos fútil e mais valorizado.

As épocas passam e os acontecimentos sempre trazem consequências, sejam elas positivas ou não.

Acredito que os tempos mudarão, em breve essa consciência coletiva fará com que o amor seja visto com maior dedicação, afinco e consideração.

Muitas vezes é preciso um tempo de caos para renascer valores e conceitos morais.

E quando falamos em amor real, afinal que tipo de amor é esse?

Bom, ele é tão especial que virou raridade. Encontrá-lo nos dias de hoje é como achar uma obra de arte.

Estamos falando de respeito, troca, construção, paciência, conquista, amizade e lealdade.

E sabemos que ele vale a pena, ainda existe e assim como uma planta, precisa ser regado todo dia para não morrer.




TAGS :

    amor romântico, nostálgico, real, fútil, líquido

Tatiana Ades

É psicanalista e escritora e teatróloga. Em seus livros, o foco de estudo é o comportamento humano e o amor patológico. Tem em seu currículo várias peças escritas e encenadas nos teatros de São Paulo, além de ter concorrido ao prêmio Shell de melhor texto teatral com Os Viúvos – Teatro Ruth Escobar (2003). Como escritora, em 1998, ganhou um concurso com o conto O silêncio da raposa. Eles são o resultado de uma pesquisa de três anos: Hades – Homens que amam demais e As escravas de Eros.



ENQUETE

Amor: você considera sua relação frágil?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.