imagem de capa

Vya Estelar Responde

Fala Leitor

Como não deixar que a sensação de fracasso tome conta após se separar?

É um erro associar separação ao fracasso

07 abr, 2017

por Anette Lewin

“Depois da separação qual o primeiro passo para não fracassar?”

Resposta: A separação, para a maioria das pessoas, está intimamente associada com o fracasso. Mas nem sempre quem se separa fracassou. Talvez, nos velhos tempos em que casamentos, como regra, deveriam durar a vida toda, essa associação teria algum sentido. Mas hoje, quando é quase regra pessoas se casarem algumas vezes durante as suas vidas, essa associação deve ser revista.

É claro que quando um casal se separa as primeiras sensações são, em geral, muito dolorosas. Os questionamentos passam pela cabeça dos envolvidos de uma maneira muito intensa, quase obsessiva, e o foco, em geral, é nos erros. Seja nos próprios, seja nos do cônjuge. Isso, porém, não quer dizer que essa dor será eterna nem que o casamento foi um fracasso. Quer dizer apenas que uma fase da vida dos envolvidos passou, durou um tempo, teve bons e maus momentos e acabou.

Você leitor, que pergunta qual o primeiro passo para não fracassar depois da separação, pode usar a reflexão acima como resposta: o primeiro passo para não fracassar depois da separação é não considerar a separação um fracasso!

Sim, cada casamento, por mais curto que seja, sempre teve bons momentos. E mesmo que o casamento acabe, esses bons momentos ficarão para sempre, se você não apagá-los de sua memória e não deixar que os sentimentos desconfortáveis gerados pela separação os encubram.
É necessário fazer um balanço do casamento após a separação?

Sim, é necessário. Mas numa balança justa onde exista um espaço para os bons e para os maus momentos do relacionamento. Tente ser justo com você e com a pessoa com quem conviveu durante o tempo que a relação durou.

Feito esse balanço, é hora de seguir em frente e retomar sua vida. Num primeiro momento, sua vida pessoal. Revisite as atividades que você gosta de fazer e que, em função do relacionamento, teve que abandonar ou diminuir a frequência; procure aqueles amigos com quem está tentando marcar um papo há um tempo, mas não teve tempo; assista tranquilamente seus seriados preferidos ou o jogo de futebol de seu time do coração.

Sim, agora é hora de retomar todas essas coisas e reavaliar até que ponto elas são realmente importantes para você. Muitas coisas só são altamente cobiçadas por não estarem ao nosso alcance em um determinado momento. E durante um casamento, seja ele com quem for, o bom senso costuma dizer que temos que abrir mão de algumas das atividades de que gostamos. Separe o joio do trigo tentando entender que tipo de sacrifício você teve que fazer para estar casado e se quer ou não casar novamente e abrir mão de parte do seu prazer pessoal.

Caso sinta que apesar do término de um casamento, está disposto a se relacionar, e quem sabe, casar novamente, é hora de refletir sobre que tipo de parceria teve e que tipo de parceria gostaria de ter. Cuidado para não sair de um relacionamento e entrar em outros iguaizinhos. Sim, existem pessoas que parecem escolher sempre o mesmo tipo de parceria; e tomar sempre o mesmo tipo de tombo.

Uma escolha sempre tem um quê de intuitivo, mas é conveniente deixar o lado racional falar também. Se você, por exemplo, se sente atraído por mulheres muito extrovertidas, mas é uma pessoa extremamente ciumenta, vale a pena questionar-se se essas duas características suas não podem causar um problema de convivência, que se repetirá se você continuar escolhendo esse mesmo tipo de parceira.

Mulheres extrovertidas falam, chamam atenção de muita gente. E se você é ciumento e não suporta ver sua mulher conversando com um monte de gente, como fica a situação? Difícil, não é? Assim, uma forma de não se sentir fracassado em relação às escolhas amorosas depois da separação, é pensar em quem você está escolhendo e tentar entender como são as características de quem você escolhe. E se estas características "combinam" com as suas no sentido de permitir um relacionamento harmonioso.

Finalmente, devemos lembrar que sucesso e fracasso são conceitos bastante relativos. Ao planejar uma vida a dois nem todos os sonhos do casal se tornarão realidade. Por outro lado, ótimos momentos inesperados farão parte de qualquer relacionamento independentemente de sua duração. Cabe a quem se separa decidir quais partes do relacionamento prefere reter em sua memória afetiva. Lembrando que se maus momentos podem destruir um casamento, ficar remoendo frustrações amorosas pode destruir a capacidade de amar.

Atenção!
Este texto não substitui uma consulta ou acompanhamento de um médico e não se caracteriza como sendo um atendimento.


É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.


Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor(a), ainda mais pertinho de nós. A psicóloga Anette Lewin responderá perguntas enviadas por você sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Esta resposta possui dois formatos:

1º formato: responder as perguntas enviadas por você;

2º) formato: extrair uma palavra em específico de uma pergunta que você enviou (ex: traição). E partir desta palavra, revelar o significado do que sentimos ao nos relacionar. Seu nome e e-mail serão preservados.

O que você achou do novo Vya Estelar?