DESTAQUES

Será que respeito o meu par?

Eduardo Yabusaki 06/03/2018 COMPORTAMENTO
Será que respeito o meu par?
Fonte: imagem Pixabay
Respeito se aprende, pode ser desenvolvido? Ou é uma questão inata? Como treiná-lo no relacionamento?

Por Eduardo Yabusaki

Muito se fala sobre a falta de respeito, “o quanto que fulano não respeita seu parceiro (a)”.

TEXTO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE



Entretanto, pouco avaliamos sobre como estamos vivendo ou praticando o respeito em nosso cotidiano, seja no relacionamento a dois, ou em qualquer outra situação de nossas vidas.

O verdadeiro respeito é aquele que nos faz gostar da pessoa, mesmo que haja divergências, não exigindo necessariamente que determinada atitude seja mudada para que consigamos conviver bem.

Esse é o respeito que permite amar e ser amado, mesmo sabendo que possamos pensar diferente, desde que consigamos encontrar juntos um jeito para lidar com determinadas situações, sem que isso se torne um problema fonte de conflitos, brigas e desentendimentos.

Respeitar é sim uma demonstração importante de amor, seja no relacionamento pessoal íntimo ou não. Respeitar é ouvir e conviver com o diferente sem que isso lhe seja constrangedor, tão pouco ao outro. Não permitindo que a diferença se torne um fator discriminatório ou mesmo para gostar menos da pessoa. Pelo contrário, poder ver, mesmo discordando, bons valores nos conceitos e postura do outro.

Respeito é apreendido, quando não foi apreendido pode ser adquirido, e ainda, quando não apreendido e nem adquirido pode ser desenvolvido. Portanto, o respeito é fundamental para as relações íntimas ou cotidianas, é imprescindível para nossas vidas. Não pode faltar.

4 dicas para você avaliar como pratica o respeito em seu dia a dia:

1ª. Pare um minuto em seu cotidiano e avalie como está tratando as pessoas com quem convive em seu dia a dia, principalmente o seu par: com bom humor, cordialidade, educação e simpatia? Ou com rudeza, deselegante, distante e de má vontade?

2ª.  Reflita se na convivência com o seu par, e com as pessoas em geral, está mostrando e manifestando o seu melhor.

3ª. Procure não ser reativo ao mau humor dos outros, lembre-se que a irritabilidade, intolerância e agressividade são facilmente propagadas e multiplicadas. Por isso,  não permita ser contaminado.

4ª. Lembre-se que o respeito é manifestando nos mais simples gestos, desde um aperto de mão, até mesmo no olhar e expressões faciais, ou ainda, pelas palavras.

Não pense que respeito seja só um conceito, mas que ele é, principalmente, a expressão de como convivemos e nos manifestamos para o nosso par e em todas as outras situações do dia a dia.

O respeito é tão importante para a existência humana e seus relacionamentos, mas tão pouco valorizado e propagado em nosso cotidiano. Respeite a todos e a tudo; nutra o que tem de bom, de positivo e produtivo dentro de si e saia espalhando por onde quer que esteja. E seja feliz!




TAGS :

    será, que, respeito, meu, par

Eduardo Yabusaki

Eduardo Yabusaki - Psicólogo e Sexólogo Especializado em Terapia Comportamental Cognitiva, Terapia de Casal e Terapia Sexual. Coordenador do Curso de Sexologia Clínica ministrado em diferentes cidades há mais de 15 anos. Docente convidado do Curso de Fromação em Sexologia Clínica de BH. Responsável pelo www.vidadecasalbh.com.br



ENQUETE

Virtude exagerada se transforma em “pecado”?








VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.