DESTAQUES

Como explicar a curta permanência no emprego anterior num processo seletivo?

Roberto Santos 01/01/2016 COMPORTAMENTO

por Roberto Santos

"Trabalhei quatro meses na empresa e pedi demissão"

Resposta: Reconhecer que cometeu um erro numa decisão de aceitar um emprego que depois a frustrou, acontece com milhares de pessoas diariamente.

Reconhecer que aprendeu uma lição e que pretende não repetir o erro é a melhor saída, começando por fazer muitas perguntas sobre a nova oportunidade à sua frente.

Sem saber qual foi seu motivo de sua saída, fica difícil ajudá-la a explicá-lo, mas o princípio continua válido:

1ª) Seja por que você não fez perguntas sobre o trabalho e as condições do cargo;

2ª) Ou por que elas não foram cumpridas pela empresa, você errou na primeira ou foi vítima na segunda.

De qualquer maneira, falar abertamente sobre os motivos reais de seu pedido de demissão não coloca sua nova chance em risco maior do que tentar inventar uma história que possa lhe parecer mais interessante, mas que será mais perigosa por ser baseada numa fantasia ou mentira.

O que o selecionador poderá questionar - falando abertamente ou não - é se você repetirá seu comportamento de demissão em curto espaço de tempo.

O remédio para isso é, depois de "entrevistá-lo" sobre o cargo, trabalho, empresa etc - você demonstrar por uma análise racional e madura, por que a oportunidade à sua frente lhe atenderá, em longo prazo, o que você busca em sua carreira.

Boa sorte!




Roberto Santos

Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br



ENQUETE

O Jornal da Cultura veiculou matéria apontando que o brasileiro não está animado com a Copa do Mundo. E você, está empolgado?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.