DESTAQUES

O que não gostamos no emprego atual pode se repetir nos próximos

Roberto Santos 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
Empregados não deixam as empresas, mas os chefes

por Roberto Santos

"Não gosto do meu emprego, estou procurando outro e não acho. O que eu faço?"

Resposta: Acho que esse problema é seu e de inúmeros outros profissionais... Estar num emprego que não é o sonho de consumo, pelo qual não morremos de paixão e não conseguir realizar aquele sonho com outro emprego no curto prazo é muito comum. Se houvesse respostas fáceis deixaria de ser um problema, não?

Mais do que respostas precisamos de perguntas, porque muitas vezes o que não nos satisfaz no trabalho atual pode se repetir nos próximos. Seja porque esperamos uma perfeição que não existe ou porque criamos as insatisfações por não checar algumas condições da oferta recebida.

Pesquisas mostram que os empregados não deixam as empresas (ou empregos) e sim seus chefes. Por isso, pode ser que sua insatisfação seja com um "chefe-mala" que não vai conseguir mudar. Nesses casos, quando a empresa é boa, tentar uma transferência para outra área pode ser uma melhor opção do simplesmente sair da empresa. Essa opção aliás serve para outra causa muito válida de insatisfações e desejo de sair de onde estamos, que é o trabalho que estamos fazendo. Esse pode ter se tornado pouco desafiante e até frustrante, o que afeta a motivação na certa.

Tentativas malsucedidas, a busca de outra oportunidade no mercado poder ser uma saída e fazê-lo enquanto se trabalha, de um lado obriga muitas vezes a algumas mentirinhas — médico, dentista, tia doente, dor de barriga iminente, etc.

Porém, o ideal, quando o chefe não é mala, é abrir o jogo e pedir para compensar o tempo em que estará fazendo entrevistas. Pode parecer estranho, mas há chefes bastante compreensivos diante da sinceridade e de um funcionário que não deixa a peteca cair, mesmo enquanto procura outra oportunidade. Afinal, ele ou ela, também é profissional e pode estar passando pelo mesmo que você!

 

 




Roberto Santos

Profissional de Recursos Humanos, com mais de 40 anos de atuação no mercado, Roberto teve diversas posições como profissional e executivo de RH em multinacionais de grande porte. É sócio-diretor da Ateliê RH, consultoria com mais de 14 anos de atuação no mercado, e distribuidor Hogan no Brasil. Mais informações: www.atelie-rh.com.br



ENQUETE

O Jornal da Cultura veiculou matéria apontando que o brasileiro não está animado com a Copa do Mundo. E você, está empolgado?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.