DESTAQUES

Será que você é viciado em amar?

Tatiana Ades 23/03/2017 PSICOLOGIA
Será que você é viciado em amar?
Fonte: imagem Pixabay
Abstinência é comparada àquela sentida pelo usuário de drogas

por Tatiana Ades

Quem são as pessoas que amam demais?

Antes de responder, pense um pouco sobre o que representa o  sentimento de amor.

Difícil de ser definido, mas fácil de ser sentido, o amor é um sentimento ímpar, que nos traz tranquilidade, paz, segurança e conforto.

Costumamos confundir amor com obsessão, ciúmes e desespero. Essa intensidade vivida numa relação pode ser muito agradável de ser vista num filme ou ouvida numa música, mas está muito longe de definir o real amor.

Quando usamos o termo “amar demais”, estamos nos referindo a pessoas que não sabem amar e tornam-se prisioneiras de outras pessoas, como um vício, uma forma incessante de obter alívio pessoal a partir do outro.

Essas pessoas têm a autoestima sempre muito baixa, geralmente são muito submissas ou muito controladoras, desenvolvem o ciúme obsessivo, a paranoia e estão o tempo todo focadas no parceiro, sem conseguir sentir a paz e a tranquilidade que o amor real nos traz.

Homens e mulheres amam demais, pois se conhecem de menos. O conhecimento de nós mesmos é a chave principal para o encontro do amor saudável.

Você ama demais? Veja os sinais:

- obsessão pelo parceiro
- ciúme incontrolável
- sensação de querer sair da relação e não conseguir
- sensação constante de humilhação
- baixa autoestima
- paranoia
- depressão e pensamentos suicidas.

Quando o amor se torna vício, você está embriagado e apaixonado pelo vício e não pela pessoa. Por isso, o alívio ao ter contato com o parceiro, e na mesma proporção, o desespero na sensação de despedida.

A abstinência de quem ama demais e sofre uma separação é comparada àquela sentida pelo usuário de drogas, os sintomas são:

- dores fortes no corpo;
- enxaquecas e dores de estômago, vômitos;
- tremedeiras e crises de pânico;
- insônia;
- depressão.

Muitas pessoas que amam demais costumam se aliviar da abstinência encontrando “um novo amor”. Esse geralmente irá gerar automaticamente a sensação de alívio e a falsa ilusão de estar amando novamente. Esse processo, se não trabalhado em terapia, pode durar uma vida toda.

E quem ama de forma saudável?

- tem autoestima alta;
- o parceiro representa um complemento bom em sua vida e acrescenta;
- o ciúme aparece apenas em situações de desconfiança real;
- quando a pessoa percebe que o outro não a faz bem, consegue se afastar;
- a pessoa consegue ficar sozinha, sem ter alguém por quanto tempo for necessário.

Amar demais é como beber demais, comer demais, usar drogas, é uma compulsão perigosa e um vicio que pode levar, em casos extremos, à morte: suicídio e homicídio.

Escrevi dois livros sobre o tema para orientar as tantas pessoas que sofrem por amor, são eles: Hades-Homens que amam demais (para os homens) e Escravas de Eros (para as mulheres).

Os consultórios estão cada vez mais lotados de pessoas que sofrem por amor, chegando ao mais alto grau de desespero, perdendo seus trabalhos, amigos, dignidade e saúde emocional.

Se você se reconheceu como uma pessoa que ama demais, busque ajuda profissional e também os grupos anônimos de apoio. Há diversos grupos de ajuda, como o MADA, CODA, DASA, HADA).

Aprender a se amar é a única possibilidade de saber amar outra pessoa.




TAGS :

    amar, demais, viciado, sofrer, depender, abandonado

Tatiana Ades

É psicanalista e escritora e teatróloga. Em seus livros, o foco de estudo é o comportamento humano e o amor patológico. Tem em seu currículo várias peças escritas e encenadas nos teatros de São Paulo, além de ter concorrido ao prêmio Shell de melhor texto teatral com Os Viúvos – Teatro Ruth Escobar (2003). Como escritora, em 1998, ganhou um concurso com o conto O silêncio da raposa. Eles são o resultado de uma pesquisa de três anos: Hades – Homens que amam demais e As escravas de Eros.



ENQUETE

O Jornal da Cultura veiculou matéria apontando que o brasileiro não está animado com a Copa do Mundo. E você, está empolgado?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.