DESTAQUES

Afinal, o que significa, de fato, a timidez?

Antonio Carlos Amador 29/03/2017 PSICOLOGIA
Afinal, o que significa, de fato, a timidez?
Fonte: imagem Pixabay
Timidez é consequência da falta de segurança em si mesmo

por Antonio Carlos Amador

O que é timidez?

A Psicologia a define como uma ansiedade e inibição em situações sociais, que tipicamente envolve três componentes:

a) sentimentos globais de excitação emocional e experiências fisiológicas específicas (por exemplo desarranjo do aparelho digestivo, taquicardia, sudorese e rubor);

b) constrangimento público agudo, autorreprovação e preocupações sobre ser avaliado negativamente pelos outros;

c) comportamento observável como cautela, sossego, aversão a olhar diretamente outras pessoas e retraimento social.

Uma pessoa tímida percebe de imediato que está ficando ruborizada, que as mãos tremem e suam, que a voz falha, que o coração bate mais rápido e que o estômago parece que está do avesso. Sente-se ridícula, como se todos se dessem conta do que ocorre com ela, quer esconder-se.

 “O que pensarão de mim? Dirão que sou tímida?”

O medo aumenta e ela só pensa numa forma de fugir imediatamente.

A timidez é consequência da falta de segurança em si mesmo e se manifesta ao entrar em contato com outras pessoas. Para a grande maioria dos que sofrem com ela é um aspecto desagradável de sua personalidade; para alguns funciona como um escudo que lhes permite despreocupar-se com o mundo exterior e para outros é uma forma de atrair a atenção e o carinho de outras pessoas.

A introversão e a vergonha podem estar relacionadas com a timidez, mas não são a mesma coisa. Uma pessoa introvertida, que pode ser tímida ou não, tende a encerrar-se dentro de si mesma e a abrir-se pouco às pessoas que a rodeiam, se sente à vontade com os objetos, os livros ou a própria natureza, desfrutando-os solitariamente, sem compartilhar suas vivências com os outros. Na vergonha intervém a aprendizagem: ela aparece quando a pessoa acredita ter cometido uma ação reprovável ou ridícula, quase sempre do ponto de vista social.

O tímido se sente inseguro de si mesmo de forma geral, ou só em determinados momentos muito concretos, como quando tem que falar em público, aproximar-se de uma pessoa do sexo oposto ou conversar com pessoas que não conhece. É sua forma de ser, sua personalidade. Teme que sua timidez seja percebida pelos outros e isso o aterroriza. Tende a mostrar-se calado, evita um olhar direto nos olhos das outras pessoas e as situações comprometedoras.

Sem dar-se conta, se afasta e se isola socialmente, no trabalho e na vida pessoal. Pode ficar ancorado num trabalho que esteja muito aquém de sua capacidade só por conta de sua conduta esquiva. Sente-se desgostoso com sua timidez e se pudesse deixaria de tê-la.

Além dessa experiência pessoal e privada, está o efeito que provoca nos outros que o percebem como uma pessoa insegura, temerosa, receosa e fugidia. No geral provoca desconfiança e em algumas ocasiões pena.

As consequências da timidez são claramente negativas, afetando a estabilidade psíquica, a satisfação pessoal e as relações com o meio circundante.

A timidez cria problemas sociais, dificulta conhecer gente nova, fazer novos amigos e desfrutar experiências potencialmente boas; tem correlatos emocionais negativos, como a solidão, o abandono e a depressão.

A pessoa tímida tem dificuldade para expressar apropriadamente opiniões e valores. Nesses casos é recomendável buscar ajuda profissional.




TAGS :

    tímido, inseguro, medo, introvertido, problemas, sociais

Antonio Carlos Amador

É psicólogo e psicoterapeuta de adolescentes e adultos. Professor no Departamento de Psicologia do Desenvolvimento da PUC-SP desde 1974, onde ministra disciplinas relacionadas ao desenvolvimento de adolescentes, ao desenvolvimento interpessoal, à psicologia comunitária e da saúde. Atua em consultório particular como psicoterapeuta e hipnoterapeuta, atendendo a adolescentes e adultos.



ENQUETE

O Jornal da Cultura veiculou matéria apontando que o brasileiro não está animado com a Copa do Mundo. E você, está empolgado?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.