DESTAQUES

Relacionamento sugar: consequências

Eduardo Yabusaki 04/09/2018 PSICOLOGIA
Relacionamento sugar: consequências
Fonte: Google Imagens
Veja aqui os prós e os contras

Por Eduardo Yabusaki

Temos nos deparado com transformações na forma como as pessoas têm buscado seus relacionamentos e também se relacionado. Desde situações com sentimentos e vínculos muito bem delimitados, até outros não estabelecidos por sentimentos, mas por condições outras, como nos relacionamentos sugar, que funciona da seguinte forma: *“Um sugar daddy (homem maduro, rico, generoso e bem-sucedido) se une a uma sugar baby (mulher jovem, atraente, inteligente e ambiciosa) num relacionamento transparente, com as intenções e expectativas de cada um bem definidas e esclarecidas). Ou seja, um sabe o que o outro pretende sugar.  

Esta situação ‘sugar’, que se estabelece por interesses mútuos de forma clara e objetiva, entretanto, sem que necessariamente haja afeto e sentimento, traz consequências? Podem ser danosas às pessoas envolvidas ou traz benefícios? Como qualquer experiência em nossas vidas, nossas decisões sempre vão gerar ganhos e perdas e cabe a cada um avaliar quais possam ser essas condições e escolher o que ganhar e o que perder.
Prós e contras no relacionamento ‘sugar’:

Prós:

1. São relacionamentos estabelecidos de forma clara e transparente, por interesses em benefícios mútuos, em que cada um sabe muito bem em que será exigido e o que pode exigir do outro.

2. Possibilidade de crescimento e desenvolvimento em esferas da vida que não teria oportunidade ou possibilidades se não fosse pelo relacionamento.

3. Não há necessidade de envolvimento emocional entre as partes o que pode favorecer àqueles que sejam temerosos ou bloqueados afetivamente a terem companhia e convivência de intimidade com outra pessoa.

Contras:

1. Pode acontecer de uma das partes se envolver afetivamente e se não ser do interesse ou desejo da outra parte, levar à ruptura ou fim da relação, gerando mágoa e sofrimento a uma ou até mesmo a ambas as partes.

2. Relacionamento que, por não envolver afetiva e emocionalmente, pode iludir uma ou a ambos de que seus sentimentos e amor não sejam importantes, mas que em algum momento se deem conta de que estejam frustrados e insatisfeitos por não viverem este lado de suas vidas.

3. Essa forma de se relacionar pode ser uma fuga da pessoa se envolver profundamente em seus próprios sentimentos e emoções, e assim não ter um aprofundamento num relacionamento amoroso. Passados tempos nessa forma de se relacionar, pode chegar à conclusão de que ele não o preenche e sente-se só, frustrado e decepcionado consigo mesmo.

Mais do que pensar nas diferentes formas de se relacionar, o mais importante é avaliar e refletir quais são os seus ideais, anseios e interesses quanto ao que espera e deseja de um relacionamento. A partir daí buscar e viver aquilo que terá sentido e significado para a sua vida. Viva e seja feliz! Sempre levando em conta seus valores e ideais, bem como seus sentimentos, desejos e expectativas.




TAGS :

    sugar, daddy, baby, relacionamento, psicologia

Eduardo Yabusaki

Eduardo Yabusaki - Psicólogo e Sexólogo Especializado em Terapia Comportamental Cognitiva, Terapia de Casal e Terapia Sexual. Coordenador do Curso de Sexologia Clínica ministrado em diferentes cidades há mais de 15 anos. Docente convidado do Curso de Fromação em Sexologia Clínica de BH. Responsável pelo www.vidadecasalbh.com.br



ENQUETE

Quem não tem cão caça com o “ex”, que está receptivo. Você concorda?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.