DESTAQUES

Crenças na maioria das vezes são limitantes

Ana Lúcia Paiga 13/12/2018 PSICOLOGIA
Crenças na maioria das vezes são limitantes
Fonte: Google Imagens
A crença nos prende a um comportamento padrão ou a determinados comportamentos

Por Ana Lúcia Paiga   

Rogério (veja texto anterior), voltou com um semblante mais leve. Seu discurso estava mais positivo, mais consciente, e isso era um bom sinal.

Um passo importante tinha sido dado para refazer sua autoimagem.

Ao longo da sessão, porém, foi ficando claro que havia uma distância entre o conceito de sua mente e sua sensação. Diante do medo, ele já conseguia parar, respirar, conversar consigo mesmo e dar mensagens de confiança, merecimento ou permissão à sua Criança. Mas ainda sentia-se desconfortável e desconfiado, o que o impedia de ter um novo comportamento.

Isso é o que acontece na maior parte das vezes, quando nos propomos a mudar alguma crença limitante do nosso enredo.

Primeiro sentimos o desconforto, depois descobrimos a crença que nos prende ao comportamento padrão, depois compreendemos de onde ela vem, em seguida encontramos uma ferramenta para transformá-la; Mas só quando agimos, é que a transformação acontece.

É necessário uma coerência entre “Sentir, Pensar e Agir”  para que haja a mudança efetiva.

Em outras palavras, é preciso que minha Criança acredite no que meu Adulto e Pai Nutritivo me falam, para que eu arrisque abrir mão do comportamento antigo que parecia me proteger de algo pior.

É preciso que eu me liberte das falsas garantias do passado, do conhecido, da zona de conforto, para que eu atualize minha autoimagem e consequente autoestima.

Quando criança ou adolescente, Rogério estava à mercê da opinião e mensagens dos pais, da sociedade, mas hoje é uma pessoa capaz de se avaliar, saber do que gosta e do que não gosta. Discernir entre o que pode modificar em si e o que lhe resta aceitar.

Afinal, todos temos diferentes características, que podem ser definidas como habilidades ou dificuldades.

Paradoxalmente, desenvolver a capacidade de aceitação é o ponto de partida para a maior mudança.

Não se trata de se conformar, mas sim de não julgar, apenas reconhecer a si mesmo, se valorizando e elegendo prioridades para sentir-se feliz e brilhar.
 
Como você pode contribuir com seu brilho?...




TAGS :

    crenças são limitantes, vya estelar, autoconhecimento, psicologia

Ana Lúcia Paiga

Faz psicoterapia para adolescentes, adultos e casais. Leciona Curso Básico de Análise Transacional (duração de 12 horas). Coaching (life-coaching e equipes. Realiza supervisão de profissionais ligados à educação (Lar Sírio Pró Infância). Faz palestras diversas sobre temas de autoconhecimento. Criação e Condução de workshops de desenvolvimento. Preparo e Acompanhamento de grupos à Comunidade de Findhorn. “Acredito que a melhor maneira de evoluir é compartilhar experiências.”



ENQUETE

Qual o preço de se buscar a perfeição?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.