DESTAQUES

Como o cérebro reage a um trauma?

Marta Relvas 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Trauma pode violar as ideias do indivíduo a respeito do mundo

por Marta Relvas

A neurofisiologia do trauma emocional é quando o sistema límbico torna-se excitado ou estimulado em relação a um acontecimento ou fato que marcam emocionalmente o nosso cérebro.

Esse mecanismo estimula os neurônios a produzir um neurotransmissor excitatório denominado de catecolamina, bem como a noradrenalina, que gravam fortemente essas memórias emocionais e também promovem o envio de um suprimento extra de oxigênio e glicose para o cérebro, ajudando-o a "sedimentar" a memória.

O que é um trauma?

O trauma é um tipo de dano emocional que ocorre como resultado de um algum acontecimento, envolvendo uma experiência de dor e sofrimento emocional ou físico, acarretando recordações dolorosas, afetando o comportamento e o pensamento da pessoa, que fará de tudo para evitar reviver o evento que lhe traumatizou. Igualmente, pode acarretar depressão, comportamentos obsessivos compulsivos e outras fobias ou transtornos, como o de pânico.

Um evento traumático envolve uma experiência ou série de experiências repetidas que afetam a maneira de o indivíduo lidar com ideias ou emoções envolvidas com aquela experiência, podendo às vezes durar semanas ou anos. O trauma pode ser causado por vários tipos de eventos, mas há alguns aspectos em comum. Geralmente envolve o sentimento de completo desamparo diante de uma ameaça real ou subjetiva à própria vida, ou à vida de pessoas amadas, ou à integridade do corpo.

Um trauma pode, frequentemente, violar as ideias do indivíduo a respeito do mundo, colocando-o num estado de extrema confusão e insegurança.

O trauma psicológico pode vir acompanhado de um trauma físico ou existir de maneira independente.

Traumas psicológicos

Tipos de causas de traumas psicológicos são: perda de entes queridos, abuso sexual, violência ou ameaças, desafeto/desilusão, especialmente se ocorrem na infância ou adolescência. Eventos catastróficos como terremotos e erupções vulcânicas, guerra ou outras formas de violência em massa também podem causar traumas, assim como exposição à miséria durante longo tempo ou mesmo abuso verbal.

O que está por trás do trauma:

- Pessoas diferentes reagem de maneiras diferentes em eventos similares.

- Uma pessoa pode sentir como traumático um evento que outra pessoa pode não sentir.

- Nem todas as pessoas que passam por experiências traumáticas podem se tornar psicologicamente traumatizadas.

- Procure ajuda de profissionais (psiquiatra/psicólogo) quando se sentir ameaçado, com medos e traumas que paralizem sua vida afetiva, emocional e social.




Marta Relvas

Bióloga; Doutora e Mestre em Psicanálise; Neuroanatomista; Neurofisiologista; Psicopedagoga e Especialista em Bioética; Tem certificação no programa internacional em Reggio Emília Study Abroad Program na Itália; Title of People Expression Special category Best Practices in Education Neurosciences and childhood and adolescence learning of Erasmus+ University – Europe – Portugal; Membro Efetiva da Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento; Membro da Associação Brasileira de Psicopedagogia Rio de Janeiro; Autora de livros e DVDs sobre Neurociência e Educação – Transtornos da Aprendizagem publicados pela Editora WAK e Editora Qualconsoante de Portugal; Atua ainda como Professora Universitária na Universidade AVM Educacional / Cândido Mendes, nos cursos de pós graduação em Psicopedagogia, Psicomotricidade, Neurociência Pedagógica, e na formação Docente; Professora na Universidade Estácio de Sá no Rio de Janeiro nos cursos das áreas: saúde, licenciatura; Professora Mentora do curso de Neurociência e Educação CBI OF Miami. Professora, pesquisadora convidada no curso de pós graduação de Neurociência do IPUB/ UFRJ. Coordenadora do Programa de Pós graduação de Neurociência Pedagógica na Universidade Candido Mendes/ AVM Educacional. Palestrante no Brasil e no exterior.



ENQUETE

Ninguém é muita areia para o caminhão de ninguém. Você concorda?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.