DESTAQUES

Como identificar um homem que não consegue se comprometer?

Anette Lewin 01/01/2016 COMPORTAMENTO
Sua intuição saberá lhe dizer

por Anette Lewin

Resposta: Em geral, as mulheres sabem muito bem qual o homem que se compromete e qual o homem que apenas ... promete! Pela intuição!

A grande dificuldade está em trocar os prazeres prometidos pelo homem que seduz, pelo conforto proporcionado pelo homem que se compromete...

Aí está o conflito tão bem discutido por Jorge Amado em seu livro "Dona Flor e seus dois maridos". Obra de arte... Mas, em geral, apenas nas metáforas da arte a conciliação se resolve sem tropeços.

A vida real pede uma opção e a opção implica em abrir mão. E aquela que não quer ou não consegue abrir mão, fantasia que com o tempo, vai conseguir somar às virtudes de seu grande "pegador" à virtude da fidelidade e do compromisso. Difícil... Em geral muito difícil.

O homem que mobiliza, de alguma forma aprendeu a entender a alma feminina na prática, porque tentou, errou e acertou. E esse jogo, muitas vezes, acaba se tornando interessante para ele pelo prazer de jogar. Ele aprendeu a conquistar, mas não sabe direito o que fazer com o que conquistou então... não se compromete. Outro motivo para o homem não se comprometer pode ser uma decepção amorosa que acabou por torná-lo frio , ou simplesmente, um individualismo consciente que o leva a rejeitar qualquer tipo de compromisso amoroso. E para as mulheres, principalmente para as inseguras, a rejeição muitas vezes pode ser extremamente mobilizadora.

Do outro lado está o homem que se contenta com a mulher que conseguiu conquistar, e ama essa mulher incondicionalmente, mesmo sem entendê-la direito. Esse tipo de afeto pode ser confortável, mas muitas vezes deixa a desejar no campo da mobilização. É aí que se instala o dilema. Mobilização e conforto são incompatíveis por princípio. É claro que ambas as características estão presentes em qualquer homem, em maior ou menor grau, mas aqui falamos da característica dominante. E identificar essa característica, como já foi dito, é fácil e intuitivo. Difícil para a mulher que escolhe, é perceber se consegue conviver com o homem que se compromete, ou prefere o prazer de lutar pelo homem que a mobiliza, assumindo os riscos que essa escolha traz. E entender que casamento não é nem deve ser a única fonte de recompensas afetivas. Tanto a mobilização quanto o conforto, emocionalmente falando, podem ser obtidos através da família original, dos amigos, do trabalho, ou do lazer. É só questão de entender e aceitar a escolha feita. Seja ela qual for.

Vya Estelar Responde

Vya Estelar quer colocar você, querido leitor, mais perto ainda de nós. Esse profissional irá responder dúvidas enviadas pelos internautas sobre um determinado tema. A psicóloga Anette Lewin responderá sobre relacionamento amoroso, conflitos na vida a dois e conjugal. Esta resposta possui dois formatos: 1º formato: responder as perguntas enviadas pelos leitores. 2º) formato: de A a Z, explicar através de uma palavra em específico (verbete) o significado do que sentimos ao amar. Esta palavra será extraída de um e-mail enviado pelo leitor a esta coluna. Os e-mails serão selecionados e editados de acordo com critério editorial do Vya Estelar, já que não será possível responder a todos. Seu nome e e-mail serão preservados.

ENVIAR PERGUNTA



Anette Lewin

É psicóloga graduada pela PUC/SP. É psicoterapeuta de adultos e adolescentes em consultório particular desde 1975 até a presente data. É coach em saúde mental.



ENQUETE

É possível ser você mesmo no ambiente de trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.