DESTAQUES

Liberte-se de velhos padrões mentais

Emilce Shrividya Starling 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
Sinal inconfundível de maturidade é a alegria de viver

por Emilce Shrividya Starling

Tanto a Filosofia do Yoga como a Psicologia são unânimes em admitir que o ser humano está em continua evolução e se dirige para a autorrealização. Essa autorrealização é chamada de "individuação" pelos psicólogos ou "despertar da alma" pelo Yoga. É a descoberta da nossa verdadeira essência, do nosso Ser interior.

Para a descoberta do verdadeiro centro do nosso ser, devemos passar por várias fases de desenvolvimento. Precisamos crescer, progredir e amadurecer psicologicamente, pois o Ser interior não se revela se não tivermos alcançado certo grau de evolução, equilíbrio e harmonia em todas as partes.

Antigamente, havia o conceito de que a espiritualidade somente poderia ser alcançada pela negação e renúncia da vida mundana e da personalidade. Existia um dualismo entre a vida exterior e a vida interior.

O Yoga nos ensina o "dourado caminho do meio". Expressar a espiritualidade também na vida exterior, na nossa vida diária. "Viver no mundo, mas não ser do mundo", como disse S.Paulo.

Não é negar e desprezar a personalidade, mas conseguir o desenvolvimento harmônico e integração. Purificar o ego negativo, tornando-o um ego positivo que possa ser um instrumento para a manifestação da energia e das qualidades divinas do Ser interior que habita em nós.

O ser humano está sempre na "idade evolutiva" e em crescimento interior constante, não dependendo de sua idade cronológica. Como disse Jung: "No adulto está escondida uma criança, uma criança eterna, em contínua formação, nunca perfeita, necessitada de vigilância e educação. Eis aqui a parte da personalidade humana que deverá desenvolver-se integralmente".

Mas, esse crescimento interior não acontece junto ao crescimento biológico, porque existem duas tendências dentro de nós: tendência à estagnação e adaptação e a tendência à evolução e ao progresso. Portanto, todo impulso para a maturidade traz conflito entre essas tendências opostas. Por esse motivo, todo o amadurecimento é precedido de uma crise.

No sentido biológico e psicológico, temos a crise da adolescência e da maturidade, devido ao amadurecimento interior. E as duas forças são importantes, tanto a da adaptação como a do progresso, e precisamos equilibrá-las dentro de nós.

Quando despertamos para o impulso evolutivo, compreendemos a importância do crescimento espiritual para o bem-estar e tranquilidade e, as consequências negativas e seus danos psicológicos, quando negamos essa evolução.

Como diz Theillard de Chardin, a pessoa com maturidade psicológica continua a crescer, a desenvolver-se, a "caminhar para frente", qualquer que seja sua idade. Uma pessoa em amadurecimento não é uma pessoa que atingiu um aperfeiçoamento e se estabilizou. Ela continua em constante processo de autoaperfeiçoamento e desenvolvimento de suas qualidades mais elevadas.

Harry Overstrett em seu livro A mente humana diz que um sinal inconfundível de maturidade é "a alegria de viver", porque "o progresso na direção da maturidade é o progresso na direção da felicidade".

Podemos dizer que somos felizes, quando podemos desenvolver, de maneira harmônica, todas as faculdades e "mergulhar o corpo e a alma na vida." Quando atingimos equilíbrio interior e expressamos isso em nossa vida.

Segundo a Filosofia do Yoga, precisamos purificar o ego e acender a centelha divina dentro de nós.

Liberte-se de padrões mentais antigos

Precisamos nos livrar de nossas barreiras e limitações o suficiente para viver no amor, para acreditar no amor e ficarmos abertos uns para os outros. Experimentar liberdade que não é condicionada por nosso entendimento errôneo, nossos apegos e aversões, falsas ideias sobre nós mesmos, compulsões, inibições e vícios.

Através de um entendimento errado, falsos conceitos e preconceitos, julgamentos, culpas, ansiedade, inquietação, nossas mentes têm complicado nossas vidas, tirando nossa tranquilidade, criando um sofrimento contínuo nesta constante ebulição de pensamentos, emoções e desejos.

Desde nossa infância, temos sido condicionados pela rigidez da mente negativa, pela estrutura limitante do ego. A maioria de nós sofre desta rigidez do ego e da mente que precisa ser dissolvida se desejarmos ser mais livres e pacíficos.

Enquanto houver tanta ganância e ambição, ódios, raiva acumulada, avareza, apegos e desejos tão profundos, competição desmedida, inveja, orgulho, ilusões, o ser humano está escravizado pelo ego impróprio, o único inimigo neste planeta.

Precisamos purificar este ego e torná-lo um ego próprio, que reflete a luz do Ser interior, que reflete as virtudes divinas que precisam ser desenvolvidas dentro de nós. Este ego reflete a convicção: Eu sou sublime e digno. Eu sou merecedor da felicidade. Eu sou alegria. Eu sou forte e saudável. Eu sou o Ser.

Para conseguirmos esta purificação do ego é essencial a prática regular da meditação, quando aprendemos a disciplinar o corpo e a mente, quando aprendemos a silenciar a mente e limpamos os padrões mentais e condicionamentos negativos.

Torne-se mais flexível para fluir com as mudanças naturais da vida, pois de outra maneira o crescimento e a maturidade são impossíveis. Concilie aquilo que você é com o que poderá ser, porque na realidade, "a maturidade não é uma meta, mas sim uma estrada".

Conquiste essa maturidade espiritual e psicológica! Desperte sua alma para o autoconhecimento de sua verdadeira essência.

Namaste! Deus em mim agradece e reverencia Deus em você! Fique em paz!




Emilce Shrividya Starling

É formada em Yoga pela Federação de Yoga do Brasil e Centro de Estudos de Yoga Narayana/S.P, com aperfeiçoamento em Hatha Yoga e Meditação nos Estados Unidos. É professora de Hatha Yoga em Santos (SP), desde 1989. Atualmente ensina Filosofia do Yoga e Meditação.



ENQUETE

É possível ser você mesmo no ambiente de trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.