DESTAQUES

Você sabe identificar suas forças pessoais?

Lilian Graziano 01/01/2016 AUTOCONHECIMENTO
As forças pessoais ou forças de caráter foram enumeradas pela psicologia positiva

por Lilian Graziano

Quando a situação parece caótica, diante de uma adversidade ou desafio, eis que nos surgem os recursos  necessários para enfrentá-la, forças que muitas vezes nem imaginávamos que tínhamos.

São elas que nos fazem vencer determinado obstáculo sem que ele nos derrote, sem que percamos a perspectiva de dias melhores, resultados positivos e sucesso. Essas “características” são chamadas pela Psicologia Positiva (PP) de “forças pessoais” e nos conduzem a comportamentos objetivos e à ampliação de nosso repertório de emoções positivas.

Você conhece as suas forças pessoais?

Para responder essa pergunta, é preciso discorrer um pouco mais sobre elas.

As forças pessoais ou forças de caráter foram enumeradas pela PP por meio de pesquisa científica, uma verdadeira “arqueologia”, junto a mais de 200 códigos culturais de conduta diferentes, e que resultou em uma lista de 24 forças. Essas forças pessoais  derivam, por sua vez, de seis  virtudes ubíquas, assim denominadas por serem valorizadas nas mais diversas culturas. Dessas 24 forças,  a PP acredita que temos cinco que possuímos em forte grau e que, justamente por isso, se constituem no que poderíamos chamar de nossa “assinatura de forças” e que são capazes de nos auxiliar em nossa trajetória rumo à felicidade.

Vou tratar sobre essas forças no desenvolvimento desta coluna. Mas já adianto e listo aqui exemplos de algumas delas, para que você tenha uma dimensão mínima de seu significado.

Exemplos de forças pessoais:

- Pensamento crítico/lucidez;

- Esperança;

- Bondade/generosidade;

- Autocontrole;

- Animação/paixão/entusiasmo.
 
O especialista em PP conduz seu trabalho de forma a auxiliar aquele que o procura a identificar suas forças pessoais e utilizá-las com sabedoria. Fora dos consultórios de Psicologia e sem um coaching para auxiliá-lo (a), você também pode identificar suas forças e verificar em seu dia a dia como elas podem servir a determinadas situações pelas quais você esteja passando.

É um aprendizado sem fim reconhecer em si tais habilidades - ou descobrimos novas qualidades em nós ou os novos usos para nossas velhas e conhecidas características!

Você pode ter criatividade ou uma tendência inata a identificar diferentes perspectivas em seu caminho. Pode também ser perseverante, ter entusiasmo com a vida. Pode, mesmo, apresentar facilidade em transcender determinadas situações, cultivando o otimismo, a esperança, o bom humor, sabendo cultivar e admirar o lado belo da vida. Não importa qual é a sua força: ela certamente é útil em conduzi-lo ao caminho desejado, passo a passo, na superação de cada problema ou desafio.

Saber quais são suas forças é também poder elencar, de forma inteligente, que desafios servem a você, que situações está disposto (a) a enfrentar. É também saber como responder, prontamente, a um chamado inevitável da circunstância, lançando mão do que se tem de melhor para transpor uma condição que, sem tal qualidade/ força, pareceria bem mais difícil. E assim é possível minimizar sofrimentos, angústias e dúvidas em momentos cruciais da sua existência.

Fácil assim?

Não, nada é tão simples. Por isso consultórios psicológicos estão lotados e a profissão de coaching é uma das que mais se desenvolve no mundo inteiro. Mas saber que é a partir dessas ferramentas (forças) que esses processos tão positivos se desenvolvem é um “clique“, uma motivação a mais para um profundo mergulho em si mesmo e o desenvolvimento de novos comportamentos.

Conhecer-se, por incrível que pareça, é difícil. Requer olhar acurado – “olhos de se enxergar”. Mas há a Psicologia Positiva para auxiliar nessa (talvez árdua) tarefa, sempre prevenindo, em vez de remediar, as condutas que nos põe “pra baixo” e longe de uma melhor qualidade de vida.

 




Lilian Graziano

Diretora dos Instituto de Psicologia Positiva e Comportamento, psicóloga e doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP) com pós-graduação em Psicoterapia Cognitiva Construtivista. Seu doutorado sobre Psicologia Positiva e Felicidade foi a primeira tese brasileira baseada nessa abordagem. Atua há mais de 20 anos na Educação com foco no desenvolvimento de condutas preventivas para os comportamentos humanos disfuncionais. Possui certificação em Virtudes e Forças Pessoais pelo VIA Institute on Character, EUA. Treinou e atendeu centenas de funcionários de grandes organizações tais como: Coca-cola, Basf, Bank Boston, Accenture, British Petroleum, Merrill Lynch, Unilever, dentre outras.



ENQUETE

Você se sente infeliz no trabalho?






VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2018
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.