DESTAQUES

Alimente-se de forma saudável na rua, sem restrições; isso é possível

Redação Vya Estelar 01/01/2016 SAÚDE E BEM-ESTAR
O ideal é começar com uma salada de folhas com pouco azeite

por Adriana Kachani

Comer todos os dias na rua, essa tem sido a desculpa encontrada por inúmeros leitores para a não adesão a uma reeducação alimentar adequada. Respondo sempre que não aceito a desculpa. Claro, na rua as tentações são muitas, a comida é um pouco mais gordurosa (afinal de contas, a gordura que confere sabor aos alimentos, não é?), mas também oferece inúmeras vantagens.

Uma delas é poder comer todos os dias uma comida diferente, sem cair na monotonia não só do paladar como também de nutrientes oferecidos ao nosso organismo. Por exemplo, uma pessoa que almoça em casa todos os dias e compra uma caixa de uva, tem que consumir a uva até terminar a caixa para que não seja desperdiçada. Já quem come na rua, dispõe um dia de uva, outro de melancia, outro de abacaxi, e por aí vai...

Restaurantes por kilo podem ser uma boa opção

Mas como fazer para fugir das tentações? Em primeiro lugar, opte por lugares onde a comida seja mais mais saudável. Evite fast foods e lanchonetes, prefira a comida mais caseira. Os restaurantes que servem comida por kilo são sempre uma boa opção – desde que se fuja de friturinhas, maioneses e afins. Antes de montar o prato, dê uma olhada em tudo o que tem e use seus conhecimentos de nutrição.

Aqueles que acompanham sempre minha coluna sabem que devem começar com uma salada de folhas com pouco azeite e depois colocar um alimento de cada grupo no prato principal. Isso significa um alimento energético (arroz, batata, macarrão, farofa) um alimento construtor (carne, preferencialmente de frango ou peixe, ovo ou queijo magro) e um regulador (uma verdura ou legume).

Evite buffets e rodízio

Buffets e rodízios são sempre um problema. O sistema de se servir quantas vezes for necessário a um preço fechado estimula as pessoas a comerem mais. Evite esses lugares.

Prato pronto, também conhecido como PF pode ser uma boa escolha, desde que repartido em 3 e às vezes até 4 pessoas!!! É que originalmente, essa modalidade de almoço foi criada para trabalhadores braçais, que possuem uma demanda energética muito acima das outras pessoas. Ou seja, apesar de terem se popularizado para todo o tipo de pessoa, essas refeições são normalmente muito grandes, pensando que esse tipo de trabalhador precisa repor suas necessidades...

Dispense o courvet

E para aqueles que precisam ir a um restaurante, cuidado com o couvert. Caso seja possível, peça para que nem venha à mesa. Atentar ao tamanho das porções também é importante. O restaurante tem que montar pratos bem servidos, ou seja, não hesite em dividir seu prato com alguém ou tenha pena de não comê-lo por completo. Não pense como desperdício, pense numa economia a longo prazo, uma vez que evitará um ganho de peso que necessitará cuidados especiais com a saúde.

Bebidas

Consuma somente 1 copo, o suficiente para auxiliar a digestão e não distender o estômago. Prefira sempre água. Caso o suco seja imprescindível, opte por uma limonada com adoçante ou água de côco. Sucos diluídos em água também são permitidos, desde que adoçados com adoçante (aliás, quem disse que suco de frutas precisa de açúcar? As frutas já são naturalmente doces...). Sucos industrializados são permitidos, desde que sejam sem açúcar e na versão pequena, ou seja, em caixinha. Esqueça os refrigerantes. Está certo, não contém calorias, mas causam celulite e são proibidos para os hipertensos.

Para concluir a refeição, uma gelatina diet. Se tiver consumido água, pode ser também uma fruta. Mas se a vontade de comer doces for impossível, divida uma sobremesa ou melhor – prefira uma no tamanho mini: um mini bombom, um mini doce. Doces mini dão uma mega saciada na gula!

Por fim, não se esqueça que a hora do almoço é hora do almoço. Nada de conversas de trabalho e tensões. Este deve ser um momento de relaxamento, de lazer com seus colegas. Mastigue bem os alimentos, sinta o sabor calmamente e busque registrá-los em sua memória. Só assim você vai aproveitar o que está comendo sem querer mais depois.

Bom apetite!
 




Redação Vya Estelar

Ângelo Medina é editor-chefe do portal Vya Estelar. É jornalista e ghost writer. Com 30 anos de experiência, iniciou sua carreira na cobertura das eleições à Prefeitura de São Paulo em 1988 (Jornal da Cultura). Trabalhou no Caderno 2 - O Estado de São Paulo, Revista Quatro Rodas (Abril). Colaborou em diversas publicações e foi assessor de imprensa no setor público e privado. Concebeu o site Vya Estelar em 1999. É formado em Comunicação Social pela UFJF - Universidade Federal de Juiz de Fora.



ENQUETE

Você desempenha seu trabalho com fé?







VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.