DESTAQUES

Depressão pós-parto

Joel Rennó Jr. 14/06/2018 SAÚDE E BEM-ESTAR
Depressão pós-parto
Fonte: imagem www.psiquiatriadamulher.com.br
A depressão pós-parto ocorre em 15% a 20% das mulheres

Por Joel Rennó Jr.  

Diferente do que muitos pensam, não se trata de fraqueza ou frescura por parte da mulher. A depressão pós-parto pode acometer mulheres que não tinham depressão anteriormente e é uma doença que requer tratamento com psiquiatra especializado em saúde mental feminina.

Por que parte das mulheres tem depressão pós-parto?

O fator biológico, devido à queda abrupta dos hormônios sexuais femininos, é o principal desencadeador da depressão após o nascimento do bebê. Alterações neuroquímicas, de neuroimagem, inflamatórias e até imunológicas têm sido atribuídas à depressão pós-parto.

Outros fatores de risco:

Gravidez não planejada;

Conflitos conjugais;

Violências domésticas;

Antecedentes pessoais e familiares de depressão;

Uso de álcool e drogas na gestação;

Depressão na gestação que não foi tratada;

Idade (adolescentes podem ter taxas mais elevadas que a de mulheres adultas).


Depressão pós-parto: diagnóstico e sintomas - clique aqui




TAGS :

    depressão, pós-parto, psiquiatria, saúde, mental

Joel Rennó Jr.

Dr. Joel Rennó Jr. MD, Ph.D. Professor do Departamento de Psiquiatria da FMUSP. Diretor do Programa de Saúde Mental da Mulher - Instituto de Psiquiatria da USP. Médico do Corpo Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein- São Paulo. Coordenador da Comissão de Estudos e Pesquisa de Saúde Mental da Mulher da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). www.psiquiatriadamulher.com.br



ENQUETE

Suas relações amorosas duram?





VOTAR!
Vya Estelar - Qualidade de vida na web - Todos os direitos reservados ®1999 - 2019
O portal Vya Estelar não se responsabiliza pelas informações e opinião de seus colunistas emitidas em artigos assinados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação.